15/03/13

ESTAÇÃO 28

DATA DA EXPEDIÇÃO: 29.09.2012
DESTINO: Estação 28
LOCALIZAÇÃO: Município Ribeirão Preto – SP
COORDENADAS: 21°10’33.65″S 47°41’52.24″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim (ainda em uso)
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1963
CONSTRUÇÃO: Estrada de Ferro São Paulo e Minas
STATUS DO PRÉDIO: Demolido, apenas a plataforma ainda existe
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Claudinéia de Marchi

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Estação 28, mas pode me chamar de Quilômetro 3… Foi bem isso que percebi quando cheguei ao local da antiga estação da E.F.S.P.M. em Ribeirão Preto. Hoje, encontra-se localizada atrás de vários condomínios na zona leste da cidade, está dentro de uma fazenda e acessá-la não foi, digamos, confortável. Eu e a Néia estávamos indo ao Shopping quando decidi alongar um pouco o caminho e passar pelas redondezas da Estação 28, e a partir daí, a mudança de destino foi automática. Depois de alguns caminhos frustrados, conseguimos chegar até ela por um trajeto bem mais longo, mas que deu certo e resolveu a questão. A Estação 28, com o fechamento do trecho entre Bento Quirino e Ipaúna (Serrinha), passou a se chamar Quilômetro 3, pois a contagem passou a ser realizada a partir de Evangelina, daí a razão do conflito de nomes. Hoje o local está há poucos metros da linha tronco que segue rumo a Cravinhos, num trecho onde só circulam trens vindos de Biagípolis, carregados de açúcar e álcool. Estação 28 é apenas uma plataforma (até que grande), no meio do mato, sem paredes, sem armazém, sem caixa-d’água, sem desvios, enfim, sem nada. Uma cerca de arame farpado percorre toda a lateral da linha naquele local, e para entrar lá, a Néia teve que esticar o arame e eu tive que passar pelo vão… Programão para quem ia pro Shopping nénão? Brincadeiras a parte, foi mais uma estação catalogada que valeu muito a pena, e de lá enfim, fomos para o Shopping…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER ESTAÇÃO 28

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

Conteúdos Relacionados:

2Comentários

  1. 15/08/13 às 17:26
    marcos antonio silva:

    boa tarde marcelo o que podemos ver que esta ferrovia apenas esta com carregamentos de açucar e alcool. e uma pena que o transporte de passageiros nao exista nessa ferrovia olhando para a frente desses trilhos sera que um dia possa circular algum trens de passageiro neste trajeto se fosse em outro paises eu acredito que os governantes nao deixariam sem transporta o principal o ser humano mas como todos nos sabemos aqui no brasil e diferente tudo e transportado pelas rodovias por varios fatores (pegagios super caros e mais um acordo com as impresas de onibus para lucra por onde passam ) a malha ferroviaria esta ai para ser recuperada o mais breve possivel nao podendo mais espera tanto descaso desses governos incompetente.abs.

  2. 27/04/20 às 20:44
    Mauro Theodoro de Souza:

    Conheci a estação 28. Fomos os primeiros a habitar aquele lugar.Dessa época quase nenhuma lembrança. Eu era muito criança ( tinha uns três anos). Em meados de 1968 fomos passar as férias escolares lá. Um lugar maravilhoso cercado pelo cerrado. A estação já estava fechada. Na casa da estação morava o feitor.Minha família ocupou a ultima casa da Turma a mesma da primeira vez que moramos lá. Essas casas ficavam a cerca de 300 a 400 metros distante da estação, sentido Figueira. Entre a estação e as casas havia um triangulo de reversão onde presenciei algumas manobras. Não tinha água la no 28 (era assim que meu pai chamava o lugar). Tentaram perfurar um poço mas com os recursos que possuíam na época não foi possível. Acho que ainda há vestígios por lá bem como das casas. Para abastecer as casas a água vinha em tender. Eram dois. Um ficava em frente a estação e o outro ficava em frente as casas na ponta do antigo leito da SPM que ia para a estação Evangelina Velha. Naquela época só circulas as locomotivas a vapor na SPM. Certa vez apareceu por lá uma GEzinha vinda de Evangelina Nova (que na época era a estação 4 da Mogiana) para fazer reversão. As vezes nós íamos no final do triângulo que ficava bem próximo do corte da linha da Mogiana para ver os trens que ja eram tracionados pelas Diesel. Lembro das GMs azul e amarela da Mogiana. Bons tempos.

Deixe seu Comentário