Posts encontrados na categoria: P

11/08/19

PIO ALVES

SAMSUNG

Foi uma bela aventura (vide mini-filme), que nos propiciou momentos memoráveis, como conhecer a gruta e a represa do Feitosa, localizadas no meio de uma enorme mata de eucaliptos, atravessar um rio por uma ponte submersa, sem saber sequer se ela estava realmente lá, ver fazenda ser oferecida como negócio de oportunidade ao meu Tio Zé (pessoa de fortuna), ter uma gruta batizada com o seu nome, cair dentro d’água numa gruta cheia de abelhas, que acabaram por perseguir o Vinicius… enfim, coisas da vida né? Assim é o Projeto Estações Brasileiras… >>

21/06/17

PRATÁPOLIS

PRATAPOLIS

Passei por Pratápolis num final de semana em que ia até a represa de Furnas, para uma tradicional pescaria com os amigos e, sendo assim, aproveitei a jornada para documentar aquele trecho do Ramal de Passos. A estação, como poderão ver nas imagens e mini-filme, estava em muito bom estado, tendo sido reformada e pintada recentemente. Por ali, ainda estão todos os elementos do universo ferroviário, o que nos fez ter uma ótima ideia do que o passado nos oferecia em termos de qualidade e perenidade construtiva. Pátio, plataforma coberta, mãos-francesas, dísticos, placas de trens, de altitude, de quilometragem, trechos seccionados da velha linha, casas de turma, caixa-d’água, e, muitos, muitos pombos mesmo, tudo ali, contrastando o amarelo forte das paredes com o azul anil do céu, que insistia em nos brindar, com a sua hipnotizante beleza naquele dia de inverno. A estação não fez apenas de mim, um aficcionado pelo tema, um bobo sorridente…>>

02/01/17

PIEDRAS DE AFILAR*

DCIM100GOPRO

Chegando, vi um prédio simpático, bem ao estilo de outros da mesma linha que havia visitado anteriormente, feito de chapas de lata e madeira, com um telhado vermelho que dava um charme ao local (para quem conhece, lembra o estilo construtivo do antigo casario do bairro argentino de La Boca, onde as casas eram feitas com restos de material náutico, pois está ao lado de um porto e este era um material barato e farto na época). Não havia dísticos no prédio, mas sua plataforma estava lá, a linha que há muito não é usada também marca presença, um grande armazém (também de lata) construído pouco a frente da estação chama a atenção pelo seu tamanho, e indica que por ali antigamente deveriam ter escoado bons volumes de mercadorias, os mastros altos e imponentes, embora enferrujados se fazem notar de longe, as placas de quilometragem e altitude em concreto que nem o tempo foi capaz de vencer dão a identificação ao lugarejo… >>

02/05/16

PANDO*

Estive em Pando vindo de Punta del Este e seguindo para Montevideo. É uma cidade pequena, com cerca de 30 mil habitantes e que está localizada na região metropolitana da capital uruguaia. Andei por uns 10 minutos até que encontrei a estação, que, não para a minha surpresa, encontrava-se abandonada e depredada. Pichações, abandono, cheiro de urina e alguns adolescentes curtindo a sua maconha, e bem desconfiados de mim, visto que lá, o consumo é permitido. Fora isso, a realidade ferroviária do nosso vizinho não se difere muito da nossa. Linhas extintas, prédios em ruínas ou abandonados a própria sorte e material rodante enferrujando ou apodrecendo nos pátios dos “talleres” que ainda restam em operação por lá. Andei por toda a estação, apreciei a sua bela arquitetura, lamentei o seu estado e segui viagem. Infelizmente Pando não oferecia muitos atrativos além deste velho prédio… >>

20/02/16

PEDREIRA

PEDREIRA

Estive em Pedreira por três vezes e em todas elas pude ver um “mundaréu” de gente ao redor do prédio da velha estaçãozinha do ramal de Amparo. Como o local hoje é uma referência em comércio de artigos de artesanato, cerâmicas e afins, a vida ferve por ali nos finais de semana e feriados. O prédio está bem conservado, foi pintado recentemente de amarelo, e pelo que pesquisei, já foi azul e bege antes de assumir essa cor atual. Fica no meio de uma avenida/rodovia que liga Jaguaríuna a Amparo e chama a atenção de quem passa por ali. Andei, entrei, fotografei, filmei, especulei, admirei e vivi aquele momento da melhor maneira que pude, para que, exatamente como agora, eu o pudesse reviver em detalhes ao escrever este texto. Por lá, não havia placas de altitude, nem de quilometragem, também não encontrei a antiga caixa-d’água, e nem trechos de linha, desvios ou qualquer coisa que lembrasse o universo férreo, exceto claro, a própria estação. Plataforma, dísticos legíveis e cobertura suportada por mãos-francesas na entrada dos banheiros ainda estão lá e ao que parece… >>

10/03/15

PONTA PORÃ

PONTA_PORA

Já tinha estado na cidade de Ponta Porã (Ponta bonita em Guarani) por algumas vezes, porém, sem jamais ter ido até a estação ponta de linha (final do ramal homônimo), para conhecê-la de perto. Ok, imagino estar perdoado, visto que o Projeto Estações Brasileiras ainda não existia naquela época. Sempre que ia para “aqueles lados” o que mais me fascinava eram as compras generosas nas lojas da metade Paraguaia da cidade, chamada de Pedro Juan Caballero, um nome bastante sonoro e imponente, por sinal. Desta vez, foi diferente, fui para lá e me propus a ir até a velha estação, que possui um prédio grande, ainda com a “gare” já descoberta na sua maior parte, e um pátio amplo e generoso…>>

25/11/14

PEÑAROL*

DCIM100GOPRO

A estação Peñarol, está localizada no bairro homônimo na cidade de Montevideo e, hoje serve como base local da AFE – Administración de Ferrocarriles del Estado e também como um museu. O prédio da estação assim como o seu entorno foi restaurado recentemente e está em boas condições. Por lá o clima ferroviário se faz presente por todo lado, pois bem em frente, existe um grande pátio férreo, casas de conserva, oficinas… >>

11/12/13

POSTERS VINTAGE

POSTERS VINTAGE

Ilustrações baseadas em fotos colhidas por mim em cada local visitado.
Podem ser feitas sob encomenda, impressas em grandes formatos e em vários tipos de papel ou tecido.

02/12/13

PRADÓPOLIS

PRADOPOLIS

Estivemos em Pradópolis em três ocasiões, sendo duas delas após o início deste Projeto. Na primeira, ainda não colhíamos vídeos dos locais, daí a necessidade de retornarmos para complementar nossa tarefa. A antiga estação da Cia. Paulista antes chamada de Martinho Prado, está há muito tempo desativada, ainda que por aquela linha trafeguem composições carregadas de açúcar da Usina São Martinho, o velho prédio não possui função nenhuma e é o fim do ramal, visto que a linha que seguia sentido Barrinha não está mais operacional há muito tempo. Os trens por ali, seguem pelo ramal da usina aonde são carregados e partem no sentido de Campinas, sem parar na estação (para evitar furtos, segundo um segurança da usina nos disse). O local, afastado uns 7km da cidade, está favelizado… >>

28/11/13

PALMÉIA

PALMEIA

Estivemos em Palméia e pudemos documentar “in loco” as reais condições da velha estação da Cia. Mogiana em terras mineiras. Palméia a princípio estaria em terras pertencentes à Monte Belo, mas durante nossa pesquisa percebemos que ela estava em território de Muzambinho, cidade vizinha e então corrigimos o curso das coisas. É um vilarejo (não sei se é um distrito ou somente uma vila), bastante simpático e quando lá estivemos, possuia um clima bem agradável, um vento gostoso que dava um ar de frescor e liberdade… >>