16/02/13

TAPIR

DATA DA EXPEDIÇÃO: 06.07.2012
DESTINO: Estação Tapir
LOCALIZAÇÃO: Município Itamogi – MG
COORDENADAS:  21° 2’52.30″S 47° 1’0.09″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1914
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, servindo de moradia, cercado e bem conservado
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Vinicius Costa, José Antonio Thomaz, Pedro Gandra de Carvalho, Giuliano Martins Thomaz, Rodrigo Faustino e Alexandre Neves

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Tapir é uma estaçãozinha do ramal de Passos que nos reservou uma surpresa gigantesca. Chegamos até ela, que fica próxima a um vilarejo na região de Itamogi, colhemos imagens, filmes, e conversamos com moradores locais, que nos indicaram uma curiosidade logo à frente, que era uma ponte de pedras construída há cem anos. Documentamos a estação Tapir, seus dísticos, sua plataforma bem ao lado da estrada de terra que outrora foi o leito do ramal, não conseguimos entrar, portanto não exploramos a parte de dentro da estação, onde pode ser que ainda existam as placas de quilometragem e altitude ou mesmo as lousas de avisos. Ainda existe uma base de concreto aparentemente da antiga caixa-d’água (trocada por uma “mais moderna” de plástico azul horrenda), e mais nada. De lá, seguimos até a ponte centenária, que sinceramente, foi uma das melhores experiências que tive até então neste projeto. O Sr. Chico Duduca (espero ter escrito corretamente seu nome), que mora no lugar, nos recebeu de uma forma incrivelmente amistosa, nos contou histórias sobre a ponte, nos mostrou o leito do ramal, nos levou até a parte superior da ponte, por onde o trem passava, e aí veio o melhor… Queríamos descer lá embaixo, até o rio, para vermos a ponte pelo seu melhor ângulo, o inferior. Foi quando o perguntamos qual o caminho a seguir, e ele sorrindo nos mostrou uma trilha extremamente íngreme em meio as árvores e disse, é por ali, basta descer! Rerere, já que estávamos ali, depois de tanta procura e quilometros rodados, não seria uma “ribanceirinha” que nos deteria não é mesmo? E lá fomos nós, descemos, olhamos, filmamos, fotografamos, e posso dizer do fundo do coração, valeu cada escorregão, cada raspão, e cada queda que nos atingiu na descida, pois  o lugar é maravilhoso. De lá, nos restou subir tudo de volta (aí sim, a coisa foi terrível) e pedir ao Sr. Chico Duduca um pouco de água para nos limparmos e matar a sede. De lá seguimos MUITO FELIZES, para Ipoméia… >>

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

ILUSTRAÇÃO DO LOCAL:
Tendo como base as imagens reais de cada local colhidas pelo Projeto Estações Brasileiras, eu desenvolvo uma ilustração que retrate emocionalmente o espírito de cada estação/parada, ou mesmo do seu entorno, no caso de já não existirem mais. A intenção é que sirva de estímulo para a interpretação crítica de cada um, seja de forma positiva, negativa, carregada de saudosismo, ou mesmo de forma contemplativa apenas. Espero que curtam.
TAPIR 01

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

Conteúdos Relacionados:

2Comentários

  1. 09/08/13 às 4:23
    marcos antonio silva.:

    mais uma ferrovia de longo percuso desativada mais nén os trilhos eles deixaram para que alguém um dia voltasse a reativa-la e ao mesmo tempo pessoas de coragem.hojé marcelo o que pudemos ver nos jornais que o transporte pela rodovias se tornou um risco para os camionheiros que transporta carga de altos valores.isso quando chega no seu destino porque não por nossas ferrovias basta recuperar aquela que tem condições de transporta está cargas de tantos valores como são citados pelas transportadoras e mesmo assim ninguém citá em voltar o transporte pela ferrovias entre esté dois estados. de tantas estradas perigosas para quem trabalhanesse trajeto.(exemplo ontém no jornal da record mais um assalto a camionheiros que levou a morte do ajudante que foi colocado no porta mala do carro dos ladrões) e mesmo assim ninguém fala sobre nossas ferrovias que estão a espera de um milagre que possa volta a fucionar como antes nesse pais sem memoria.abs.

  2. 11/08/13 às 0:26
    marcos antonio silva:

    boa noite a todos este comentarios se refere ao ferroviarios de nosso estado que tanto levou o nosso progresso a tantas regiao e cidades do interior de são paulo e hoje muitos daqueles que contribuiu com tanto esforço e dedicação não so com transporte de carga mais com o mais principal o ser humano.me lembro muito bem como se fosse hoje o transporte de passageiro que circulavam entre as estaçoes de osasco com outras cidades do interior de nosso estado .hoje os vagoes e trens que levaram tantos passageiros de uma cidade a outra estao abandonados entre duas estacoes osasco e presidente altino na mesma cidade por isso esse comentario mais uma vez sao a voces ferroviario que estao na ativa e os aposentados. parabens pelo dia do pais a voces todos. porque se depende desses governos do passado e presente nunca seram lembrado pelo seus trabalhos a todos voces parabens abs.e a voce novamente marcelo parabens pelo seu esforço e dedicaçao juntamente com sua equipe abs.

Deixe seu Comentário