Posts encontrados com a Tag: "TRAMWAY"

ITAPEMA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 09.11.2012
DESTINO: Estação Itapema
LOCALIZAÇÃO: Município Guarujá – SP
COORDENADAS: 23°56’22.81″S 46°18’28.65″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1893
CONSTRUÇÃO: Companhia Balneária da Ilha de Santo Amaro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, é hoje ponto de travessia de barcas
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Claudinéia de Marchi

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
A estação Itapema continua lá, exatamente no local em que sempre esteve, só que a diferença agora, é que não serve mais como estação de embarque das barcas por um lado, e do Tramway (bonde que circulava na via urbana) pelo outro. Tendo hoje restado apenas o lado das das balsas. Inicialmente eu havia pensado que o ponto da linha tinha o seu início no local atual de embarque das balsas entre o Guarujá e Santos, então fui até lá para documentar o local, porém, olhando um conjunto de mapas e confrontando algumas informações locais, percebi um equívoco e consegui corrigí-lo a tempo. A linha não passava no embarque de balsas atual, mas sim, na antiga “Estação das Barcas”, que fica do outro lado do Guarujá, mais precisamente em Vicente de Carvalho, e que com este nome, não deixava margens para dúvidas acerca de sua função férrea. Então, sendo assim, para lá rumamos. Chegamos até ela através da Avenida Santos Dumont, que era por onde o tramway passava até chegar ao centro do Guarujá, tendo o seu ponto final quase que em frente ao Hotel Casa Grande, que a propósito, já existia naquela época, idos de 1893. Itapema está em plena atividade e serve a muita gente, fazendo o papel de chegada e partida das muitas travessias de passageiros entre Santos e Vicente de Carvalho, distrito do Guarujá. É um prédio simples, com um telhado de “2 águas”, e três portões frontais, sendo o central maior e os outros 2 menores. Lembra um relógio “Cuco” quando visto de frente. Itapema era o nome daquela região quando a estação foi construída, e ainda hoje é o nome do bairro em que ela está, sendo um bairro bastante popular, com muitos vendedores ambulantes e trânsito confuso, pois ônibus, motos, pedestres, carros, pequenos caminhões, carroças e bicicletas circulam o tempo todo. Estacionar a “Pretona” por lá, foi uma epopéia, mas conseguimos e o local foi documentado. Hoje nada mais resta da parte ferroviária de Itapema, e é quase imperceptível o fato de um dia ter existido um trem urbano por ali. Itapema foi e ainda é um ponto importantíssimo para a história do Guarujá, de Santos e, provavelmente para boa parte da baixada santista. Ter estado lá foi muito bom e de lá, seguimos para Bento Pedro, outro mistério que teria que ser desvendado por nós…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER ITAPEMA

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

SANTOS (VALONGO)

DATA DA EXPEDIÇÃO: 09.11.2012
DESTINO: Estação Santos (Valongo)
LOCALIZAÇÃO: Município Santos – SP
COORDENADAS: 23°55’51.97″S 46°20’0.35″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim (ainda circulam bondes por ali)
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1867
CONSTRUÇÃO: São Paulo Railway
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, conservado e em pleno uso pela secretaria de turismo
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Claudinéia de Marchi

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Estive na antiga estação do Valongo, como era conhecida a estação Santos, da antiga São Paulo Railway, hoje desativada, e pude ver de perto como andam as coisas por lá. Era um dia chuvoso e isso dificultou um pouco a nossa exploração, mas nada que comprometesse a jornada. Hoje a estação, tombada desde 2010 é da prefeitura local, e nela funcionam a secretaria municipal de turismo, e pelo que vi, também um restaurante-escola chamado Estação Bistrô fruto de uma parceria com uma universidade local. Ao lado, ficam as garagens dos bondes turísticos, e praticamente em toda a sua volta, enormes galpões portuários. Andar por aquela área é uma visita ao passado, quase tudo é histórico e de alguma forma desperta nostalgia, e comigo não foi diferente. Foi dela que partiu o primeiro trem do estado de São Paulo, portanto imaginem a quantidade de história acumulada que aquele prédio não possui? É um prédio bonito, imponente, todo pintado de amarelo, com uma grande cobertura frontal, por onde hoje passam (ou passavam) os bondes turísticos, enfim, é um local que merece ser visitado não só por quem se interessa pelo tema ferroviário, mas por todos que nutrem o mínimo de sentimento pela história brasileira. Não consegui ir até os fundos da estação e ver o imenso pátio, nem as plataformas de onde partiam os trens de carga e passageiros, mas um dia certamente volto lá. De lá seguimos para Alemoa… >>

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER SANTOS VALONGO

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

ALEMOA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 09.11.2012
DESTINO: Estação Alemoa
LOCALIZAÇÃO: Município Santos – SP
COORDENADAS:  23°55’41.99″S 46°21’49.80″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim, em pleno uso
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1920
CONSTRUÇÃO: São Paulo Railway
STATUS DO PRÉDIO: Demolido
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Claudinéia de Marchi

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Estive em Alemoa num dia chuvoso e feio de dar dó, pude assim ver de perto que nada restou da antiga estação. Estacionei a “Pretona” embaixo do viaduto da Alemoa, que fica bem na entrada de Santos e fui a pé até aonde um dia existiu a estação, mas de lá, só trouxe frustração. Nada restou, e as pessoas que passavam por lá sequer sabiam da existência dela, daí, só me restou procurar por possíveis restos do prédio, mas nem isso consegui encontrar. A área é movimentada, trens, carros, caminhões, motos, bicicletas, pedestres, enfim, um grande corredor de tráfego, o que dificultou um pouco a exploração, mas acho que deu para conseguir o mínimo. O local aproximado da estação está às margens da estrada que liga Santos à Cubatão (Estrada Velha?), e o acesso é bem fácil, tomando sempre o cuidado de se ficar na marginal direita, para quem segue no sentido Cubatão (subindo a serra). De lá, seguimos para Cubatão e Casqueiro…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER ALEMOA

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.