Posts encontrados com a Tag: "SÃO JOSÉ DO RIO PARDO"

ENGENHEIRO GOMIDE

DATA DA EXPEDIÇÃO: 05.10.2012
DESTINO: Estação Engenheiro Gomide
LOCALIZAÇÃO: Município São José do Rio Prado – SP
COORDENADAS: 21°32’41″S 46°53’29″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1889
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, funcionando como depósito de uma fazenda
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Pedro Gandra

O FILME:
“Aguardem!”

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Estive em Engenheiro Gomide junto com meu amigo e grande colaborador do Projeto, Pedro Gandra e pudemos ver de perto a estação “Fazenda Pinheiro” ops, Engenheiro Gomide, nome este relacionado ao engenheiro Cândido Gonçalves Gomide, que contribuiu destacadamente para o nascimento daquele trecho da Companhia Mogiana entre Mococa e São José do Rio Pardo. Aberta em Agosto de 1889, foi fechada em 1957 equanto o restante do ramal se manteve ativo até 1966. Andamos por lá, vimos o seu uso atual como depósito de materiais agrícolas e implementos, e tentamos captar o máximo de material possível, visto que o prédio encontra-se numa propriedade particular e mesmo tendo procurado alguém para nos guiar e falar um pouco sobre o local, naquele dia, ninguém estava por lá. O prédio, no estilo arquitetônico da Mogiana está relativamente bem conservado, afinal para uma edificação com quase 130 anos, o que vimos ali era coisa de outro mundo. Plataforma coberta, dísticos ostentando o nome Fazenda Pinheiro ao invés de Engenheiro Gomide, frontões, telhado, um grande recuo bem aonde o leito passava, enfim, tudo ali, servindo e ainda muito sólido. Por lá não encontramos ninguém e assim não obtivemos nenhum relato ou causo sobre sua história. Dali, seguimos em frente, passando pela Fazenda Tubaca e seguindo sentido Ribeiro do Valle…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER ENGENHEIRO GOMIDE

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

RIBEIRO DO VALLE

DATA DA EXPEDIÇÃO: 05.10.2012
DESTINO: Estação Ribeiro do Valle
LOCALIZAÇÃO: Município São José do Rio Pardo – SP
COORDENADAS: 21°33’25″S 46°52’47″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1890
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, fechado e aparentemente bem cuidado
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Pedro Gandra de Carvalho

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Estivemos em Ribeiro do Valle, vindos de São José do Rio Pardo, ela é uma bela estação e está relativamente bem conservada, provavelmente tem servido de moradia ou depósito. Está localizada às margens do Rio Pardo, próxima à uma pequena ponte pênsil, a qual não resistimos e tivemos que atravessar, nos proporcionando uma pequena aventura, pois do lado oposto, haviam cães nada amistosos, rerere… O prédio estava pintado de amarelo, com os dísticos legíveis, o suporte da antiga caixa-d’água já sem a mesma, as lousas de avisos, a plataforma, enfim, tudo lá, porém nem sinal das placas de altitude e quilometragem. O fato de estar dentro de uma propriedade particular ajudou a mantê-la em bom estado, pois o acesso não foi dos mais fáceis não. Para chegarmos até ela, andamos muito e foi tudo na base da tentativa e erro, um dos métodos mais utilizados por nós, rerere… A estaçãozinha deixou de servir como tal em 1968, tornando-se parada, e o ramal de Mococa, deixou de partir dali dois anos antes, o que certamente ajudou a definir o seu fim. Os trilhos foram retirados de lá por volta de 1992 e o seu nome teve origem no Conde Ribeiro do Valle, que foi presidente da Companhia Ramal Férreo do Rio Pardo, fundada em 1884. Andamos por lá, exploramos cada detalhe, vimos  tudo o que pudemos, o leito da antiga linha, seus cortes na terra, suas curvas e seguimos em frente. Infelizmente por lá não havia ninguém que pudesse nos contar mais sobre o local. Uma boa referência para localizá-la é a Fazenda Tubaca, que está ao lado da estação. De lá, seguimos para Engenheiro Gomide…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER RIBEIRO DO VALLE

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

MORAES SALES

DATA DA EXPEDIÇÃO: 05.01.2013
DESTINO: Estação Moraes Sales
LOCALIZAÇÃO: Município Tapiratiba – SP
COORDENADAS: 21°25’03″S 46°45’23″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1903
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, fechado, cercado e servindo como depósito
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Pedro Gandra de Carvalho

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
A estação pode ser vista de longe, da pista que liga o distrito de Igaraí a Tapiratiba, está dentro de uma fazenda chamada São José, praticamente ao lado da pista do seu aeroporto particular. Para chegarmos até ela tivemos que pedir autorização, que nos foi prontamente concedida e pudemos documentar o velho prédio da Cia. Mogiana. Situada entre Júlio Tavares e Itaiquara, Moraes Sales serve como moradia, estava fechada e cercada por bambus ressecados. É um prédio de tijolos aparentes, com um telhado duas-águas, com plataforma, dístico legível, porém não pudemos verificar se ainda tinha lousa ou placa de quilometragem por lá, mas acredito que não. A caixa-d’água está pouco a frente, ainda lá, mas ao que parece, sem função. No fundo da estacão, existe um prédio grande, uma espécie de galpão antigo, que provavelmente era um depósito ou algo parecido. Andamos por lá, mas não encontramos ninguém naquele dia que nos desse maiores informações, então seguimos para Itaiquara, o que já é uma outra história…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER MORAES SALES

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

VENERANDO

DATA DA EXPEDIÇÃO: 05.10.2012
DESTINO: Estação Venerando
LOCALIZAÇÃO: Município São José do Rio Pardo – SP
COORDENADAS: 21°31’22.62″S 46°54’24.77″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1909
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, restaurado, particular e servindo de moradia
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Pedro Gandra de Carvalho

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Venerando é uma estação muito bonita e encontra-se bem conservada até hoje, o que é raro. Estive lá, e pude ver o cuidado que os atuais proprietários dedicam a ela. É uma estação no padrão Mogiana, um prédio de tijolos aparentes pintados de amarelo, cercada, e com um jardim bem feito na sua frente. Como não pude entrar, não posso afirmar nada sobre as placas de quilometragem e altitude, ou mesmo as lousas, mas acredito que possam sim estar lá. O dístico está bem visível no frontão, e ao seu redor, um pouco à frente, somente algumas casas ainda resistem. Encontrá-la foi relativamente fácil, pois além de todos a conhecerem naquela região, ela fica às margens de uma rodovia asfaltada que vem de São José do Rio Pardo, sentido Mococa, mas pelo que vi, o asfalto não dura muito após a entrada para Venerando. Ao que parece, pelo menos esta estação, remanescente do extinto Ramal de Mococa, terá vida longa. Espero…

COMPLEMENTO ADICIONADO EM 25.04.2013 – Gentilmente enviado por Sérgio Trinca
“Em anexo estou lhe enviando fotos da Estação Comendador Guimarães tiradas de fita VHS, Estação de São José do Rio Pardo, Estação de Venerando, desmanche da estrada de ferro de Mococa e o trem tombado na estrada de ferro “Maria Fumaça”. Espero ter ajudado.”

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER VENERANDO

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

PAULA LIMA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 05.10.2012
DESTINO: Estação Paula Lima
LOCALIZAÇÃO: Município São José do Rio Pardo – SP
COORDENADAS:  21°37’48.75″S 46°54’8.56″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1914
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, imponente, porém abandonado e depredado
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Pedro Gandra de Carvalho

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Paula Lima é uma estação imponente localizada bem na entrada da cidade de São José do Rio Pardo, numa via marginal paralela a estrada que vem de Itobi e Casa Branca. Tem um pequeno mercado bem em frente e o bairro a sua volta é bem carente. Estivemos lá, andamos e exploramos cada pedaço do local enquanto éramos observados por alguns ressabiados moradores locais. Vimos cada detalhe, os dísticos já bem desgastados, a ampla escadaria frontal, as mãos francesas, as telhas francesas, as lousas, a plataforma e a sua cobertura ascendente (diferente das demais), porém nada das placas de altitude ou quilometragem. O galpão lateral aparentemente está sem assoalho há muito tempo e o lixo toma conta do local, além do cheiro horroroso exalado por lá. Ainda resistem os guichês de venda de passagens, os avisos em português antigo, algumas belas portas e janelas de desenhos arredondados na parte superior, além do detalhe da ferradura enferrujada dependurada numa porta, talvez para atrair boa sorte… Tomara que ainda tenha força para isso. Paula Lima é ainda um belo exemplo de arquitetura, perdida dos olhos da maioria, o que é uma pena. Ainda me lembro os dois momentos de espanto que tive ao chegar lá, o primeiro ao ver o tamanho do prédio e o segundo ao ver sua arquitetura, realmente encantadora. Fora isso, Paula Lima está abandonada, sem perspectivas e sem admiradores ou cuidadores… É de dar dó. De lá seguimos para São José do Rio Pardo…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

ILUSTRAÇÃO DO LOCAL:
Tendo como base as imagens reais de cada local colhidas pelo Projeto Estações Brasileiras, eu desenvolvo uma ilustração que retrate emocionalmente o espírito de cada estação/parada, ou mesmo do seu entorno, no caso de já não existirem mais. A intenção é que sirva de estímulo para a interpretação crítica de cada um, seja de forma positiva, negativa, carregada de saudosismo, ou mesmo de forma contemplativa apenas. Espero que curtam.
PAULA LIMA 01

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.