Posts encontrados com a Tag: "MONTEVIDEO"

PIEDRAS DE AFILAR*

ESPECIAL URUGUAI
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN PIEDRAS DE AFILAR / Outubro de 2014
Fui até Piedras de Afilar para ver de perto a antiga estação que fica na linha que liga Montevidéu a Rocha ao norte do país, numa viagem em que visitei 25 estações. Piedras de Afilar é um povoado pequeno, que em 2011 contava com apenas 132 habitantes e em 2014 não me pareceu ser muito diferente disso. Chegar até o povoado envolve boa dose de espírito aventureiro, já que a estrada de terra batida não era tão batida assim e o veículo em que estávamos não era o mais adequado para a tarefa. Chegando, vi um prédio simpático, bem ao estilo de outros da mesma linha que havia visitado anteriormente, feito de chapas de lata e madeira, com um telhado vermelho que dava um charme ao local (para quem conhece, lembra o estilo construtivo do antigo casario do bairro argentino de La Boca, onde as casas eram feitas com restos de material náutico, pois está ao lado de um porto e este era um material barato e farto na época). Não havia dísticos no prédio, mas sua plataforma estava lá, a linha que há muito não é usada também marca presença, um grande armazém (também de lata) construído pouco a frente da estação chama a atenção pelo seu tamanho, e indica que por ali antigamente deveriam ter escoado bons volumes de mercadorias, os mastros altos e imponentes, embora enferrujados se fazem notar de longe, as placas de quilometragem e altitude em concreto que nem o tempo foi capaz de vencer dão a identificação ao lugarejo, de uma maneira bem simpática e saudosa. Piedras de Afilar dista 83Km da capital Montevidéu, pelo menos é o que a placa diz, e está no município de Soca, no estado de Canelones. Explorei todo o lugar, gastei o meu “portunhol” com o pessoal de lá, mas pouco sabiam sobre a história do trecho e de lá continuei viagem sentido capital. Piedras de Afilar é daqueles lugares em que o tempo parou e justamente por isso, eu parei por lá.

Abaixo seguem fotos e o mapa de sua localização:

FOTOS DO LOCAL:

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.
PANORAMICA_PIEDRAS_DE_AFILAR_01

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

SAN CARLOS*

ESPECIAL URUGUAI
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN SAN CARLOS / Outubro de 2014
San Carlos é uma estação bem bonita da linha que liga a capital Montevideo a cidade (província) de Rocha, ao norte do país. Estive lá e pude ver cada detalhe do que sobrou do universo ferroviário uruguaio por aqueles lados. Pelo que puder apurar por lá, os trens cessaram naquele trecho por volta de 1987 (dezembro) e de lá para cá, tudo foi sendo esquecido e o tempo foi se encarregando de consumir o que restou. O prédio hoje serve como residência porém, seus moradores não estavam presentes e, apenas um cão fazia as vezes de vigia, como já é praxe nestas incursões a que me proponho a fazer. Plataforma, linhas, placas de concreto, postes, armazém metálico (típico daquele país e também da Argentina), casa do chefe da estação, enfim, tudo ainda lá, agonizando mas vivo. Não existem os dísticos (talvez pela arquitetura do prédio? Enfim, não sei o motivo…), nem vagões, nem trens, nem nada sobre os trilhos por ali. Andei, explorei, fotografei, filmei, tentei encontrar alguém a quem recorrer para obter informações mais detalhadas, mas não consegui. Enfim, as informações são mesmo escassas, espero que curtam pelo menos as imagens.

Abaixo seguem fotos e o mapa de sua localização:

FOTOS DO LOCAL:

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:

PANORAMICA_SAN_CARLOS_02

Reviver é viver.

PANORAMICA_SAN_CARLOS_01

Bela vista.

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

GARZÓN*

ESPECIAL URUGUAI
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN GARZÓN / Outubro de 2014
Pueblo Garzón é uma cidadezinha ao melhor estilo “Velho Oeste” americano, situada no Departamento (estado/província) de Maldonado – UY e por lá vivem hoje, cerca de 198 pessoas, que pelos idos de 1908 eram em torno de 2.000 e muito dessa densidade populacional provavelmente deveu-se à ferrovia. Hoje a cidade (Pueblo ou Vila, como quiserem) está praticamente abandonada e o principal atrativo é o Restaurante e Bodega “El Garzon” do Chef argentino Francis Mallmman, local aonde pudemos conhecer rapidamente, pois tínhamos que seguir nossa jornada. Também existem vinícolas por lá. A estação, hoje desativada, está localizada fora da vila, porém logo na entrada, vindo por uma estrada de terra batida. Está em pé, com placas, pátio, plataforma e um frontão de entrada lindíssimo. Outro elemento de charme são as enormes palmeiras que nos acompanham até o prédio e lá nos fazem companhia durante a exploração do lugar. Havia algum tipo de reforma em curso, mas absolutamente ninguém por perto, então pude ver em detalhes e calmamente cada fresta desta jóia ferroviária dos nossos irmãos uruguaios. Com a desativação do trecho ferroviário que ligava Montevideo a Rocha e que, por ali mantinha trens com 4 freqüências diárias, a cidade se limitou a ter a Ruta 9, há 11 Km dali, como única via de acesso, desestimulando assim um crescimento maior do lugarejo. Eu fui, vi e curti. Para quem gosta de lugares rurais, calmos e pequenos, vale a visita. A propósito, a palavra “Garzón” é derivada do francês e significa “Muchacho” ou “Mozo” (rapaz, jovem ou moço em português).

FOTOS DO LOCAL:

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.

PANORAMICA_GARZON

Jamais esquecerei esta vista.

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.