Posts encontrados com a Tag: "MALDONADO"

SAN CARLOS*

ESPECIAL URUGUAI
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN SAN CARLOS / Outubro de 2014
San Carlos é uma estação bem bonita da linha que liga a capital Montevideo a cidade (província) de Rocha, ao norte do país. Estive lá e pude ver cada detalhe do que sobrou do universo ferroviário uruguaio por aqueles lados. Pelo que puder apurar por lá, os trens cessaram naquele trecho por volta de 1987 (dezembro) e de lá para cá, tudo foi sendo esquecido e o tempo foi se encarregando de consumir o que restou. O prédio hoje serve como residência porém, seus moradores não estavam presentes e, apenas um cão fazia as vezes de vigia, como já é praxe nestas incursões a que me proponho a fazer. Plataforma, linhas, placas de concreto, postes, armazém metálico (típico daquele país e também da Argentina), casa do chefe da estação, enfim, tudo ainda lá, agonizando mas vivo. Não existem os dísticos (talvez pela arquitetura do prédio? Enfim, não sei o motivo…), nem vagões, nem trens, nem nada sobre os trilhos por ali. Andei, explorei, fotografei, filmei, tentei encontrar alguém a quem recorrer para obter informações mais detalhadas, mas não consegui. Enfim, as informações são mesmo escassas, espero que curtam pelo menos as imagens.

Abaixo seguem fotos e o mapa de sua localização:

FOTOS DO LOCAL:

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:

PANORAMICA_SAN_CARLOS_02

Reviver é viver.

PANORAMICA_SAN_CARLOS_01

Bela vista.

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

COSTA AZUL*

ESPECIAL URUGUAI
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN COSTA AZUL / Outubro de 2014
Costa Azul é uma estaçãozinha bem simpática, que me chamou a atenção pela sua simplicidade e capacidade de resistir por anos da mesma maneira que sempre existiu, como um simples vagão de madeira ao lado do leito da antiga linha que já não existe mais. Costa Azul é uma vila ao lado do porto de La Paloma e, por lá, o vagãozinho se exibe solitário ao lado de uma estrada de terra clara e batida que liga a vilinha a cidade de La Paloma, pouco a frente. Encontrá-la foi fácil, mas deixá-la foi um pouco mais difícil, pois fiquei ali por alguns minutos me deliciando com aquela cena exótica, do vagãozinho sob um céu maravilhosamente azul, sabendo que a poucos metros dali, estava o mar (ou o Rio da Prata), pois por lá, nunca se sabe se é o mar ou o rio que você vê. Ela está 27 metros acima do nível do mar, segue ainda forte, com sua placa de identificação em concreto (padrão por lá, como pude ver em muitas outras também visitadas), estava fechada e obviamente bastante envelhecida pela exposição ao clima e ao tempo. Não consegui saber se serve de moradia ou tem alguma outra função mas, para mim, apenas ter tido a oportunidade de olhá-la de perto, mesmo que por alguns minutos somente, já foi gratificante demais. De lá, seguimos para La Paloma, esta sim fica bem de frente para o mar, ops, para o Rio da Prata… ou seria mar mesmo? Rerere, vai saber né?

Abaixo seguem fotos e o mapa de sua localização:

FOTOS DO LOCAL:

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.
PANORAMICA_COSTA_AZUL

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

GARZÓN*

ESPECIAL URUGUAI
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN GARZÓN / Outubro de 2014
Pueblo Garzón é uma cidadezinha ao melhor estilo “Velho Oeste” americano, situada no Departamento (estado/província) de Maldonado – UY e por lá vivem hoje, cerca de 198 pessoas, que pelos idos de 1908 eram em torno de 2.000 e muito dessa densidade populacional provavelmente deveu-se à ferrovia. Hoje a cidade (Pueblo ou Vila, como quiserem) está praticamente abandonada e o principal atrativo é o Restaurante e Bodega “El Garzon” do Chef argentino Francis Mallmman, local aonde pudemos conhecer rapidamente, pois tínhamos que seguir nossa jornada. Também existem vinícolas por lá. A estação, hoje desativada, está localizada fora da vila, porém logo na entrada, vindo por uma estrada de terra batida. Está em pé, com placas, pátio, plataforma e um frontão de entrada lindíssimo. Outro elemento de charme são as enormes palmeiras que nos acompanham até o prédio e lá nos fazem companhia durante a exploração do lugar. Havia algum tipo de reforma em curso, mas absolutamente ninguém por perto, então pude ver em detalhes e calmamente cada fresta desta jóia ferroviária dos nossos irmãos uruguaios. Com a desativação do trecho ferroviário que ligava Montevideo a Rocha e que, por ali mantinha trens com 4 freqüências diárias, a cidade se limitou a ter a Ruta 9, há 11 Km dali, como única via de acesso, desestimulando assim um crescimento maior do lugarejo. Eu fui, vi e curti. Para quem gosta de lugares rurais, calmos e pequenos, vale a visita. A propósito, a palavra “Garzón” é derivada do francês e significa “Muchacho” ou “Mozo” (rapaz, jovem ou moço em português).

FOTOS DO LOCAL:

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.

PANORAMICA_GARZON

Jamais esquecerei esta vista.

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

BALNEARIO SOLÍS*

ESPECIAL URUGUAI
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN BALNEARIO SOLÍS / Outubro de 2014
Estive no Balneario Solís vindo de Punta Del Este, sentido Montevideo, num dia nublado, porém muito bonito. A estaçãozinha fica bem próxima a uma parada (conveniência?) chamada Los Cardos, logo após a ponte sobre o Arroyo Solís Grande, no entroncamento da Ruta Interbalnearia com a Ruta 9 a uns 300 metros adentro seguindo uma estradinha de terra. Não consegui imagens de detalhes dela, pois 3 Pitbulls faziam a guarda da estação, e  só me dei conta, quando já estavam ao meu redor, então usei a estratégia de fazer cara feia, não  arredar o pé, tirar as minhas fotos e sair tranquilamente. Deu certo, mas deu medo, rerere… Por lá, reside uma família, mas não consegui conversar com eles, apenas vi uma mulher e uma criança, que logo entraram na estação, atual casa deles. Abaixo um pouco da história do local, que retirei da Wikipedia:

“Desde sus comienzos se relacionó con su actividad turística, el balneario era visitado en sus inicios por los ingleses, que en ese momento se encargaban de la construcción y administración del ferrocarril. Las primeras edificaciones del balneario datan de la década de 1940, contando en 1950 ya con 3 hoteles, el Hotel Solís, el Hotel Chajá y el Hotel Alción. Este último hotel es el único que sigue funcionando y en donde se ubica la colonia de vacaciones del Sindicato Médico del Uruguay.”

Abaixo seguem fotos e o mapa de sua localização:

FOTOS DO LOCAL:

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.

PANORAMICA_BALNEARIO_SOLIS

BEM-VINDOS!

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.