Posts encontrados com a Tag: "JAGUARIÚNA"

JAGUARIÚNA (MOGIANA)

DATA DA EXPEDIÇÃO: 03.03.2014
DESTINO: Estação Jaguariúna (Mogiana)
LOCALIZAÇÃO: Município Jaguariúna – SP
COORDENADAS: 22°42’17″S  46°59’30″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim, ainda em uso pelo trem turístico da ABPF
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1945
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, em bom estado, serve como museu, estação turística da ABPF e também como choperia
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Claudinéia de Marchi, Carolina Rodrigues Tomaz e Jeferson Tomaz Querino

O FILME:
“Aguardem!”

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Quando vi a estação de Jaguariúna pela primeira vez, parecia uma criança que tinha acabado de ganhar um brinquedo novo. Era exatamente assim que me sentia. Parei a “Pretona” num estacionamento amplo, bem atrás do imponente prédio e ansiosamente me pus a explorá-la em todos os seus cantos. Tudo ali está bem conservado, é um tributo ao passado ferroviário de uma maneira muito bem ordenada. Andei por lá, conversei com pessoas, entrei nas salas, subi no trem, caminhei pela ampla plataforma, via a enorme caixa-d’água, os dísticos, as placas, a linha, as mãos-francesas, os pisos, guichês, palmeiras, relógio, uau! Infelizmente naquele dia não pude fazer o passeio turístico entre Jaguariúna e Anhumas, mas como já havia estado nas duas pontas do passeio e também em Carlos Gomes Nova (estação/depósito/oficina da ABPF) que fica entre as duas, nem me doeu tanto assim. Jaguariúna, outrora Jaguary, foi inaugurada em 1945 e dali saia o ramal de Amparo, o qual também percorri por inteiro, e que foi desativado em 1967. A própria estação de Jaguariúna foi desativada em 1977, tendo voltado a ativa em 1981 (de forma não muito plena, mas enfim…) como estação de passageiros, depósito de locomotivas e vagões da VFCJ (Viação Férrea Campinas-Jaguariúna), mas os trilhos não mais se conectavam ao tronco da Fepasa, o que a deixou isolada no trecho até Anhumas. Andei por cada lugar ali e acompanhei a linha a pé até a Parada Jaguary, que fica depois da enorme ponte de concreto que leva a linha da ABPF até Carlos Gomes e Anhumas, tudo num calor de matar e encontrando um pessoal “não muito amistoso” embaixo da ponte, mas no final, tudo deu certo. Meu sobrinho Jeferson me acompanhou nessa caminhada escaldante e dela, trouxemos grandes momentos. Jaguariúna é um lugar cativante, com um ar clássico, tradicional, histórico e saudosista. As palmeiras imperiais dão um toque todo especial e são a cereja do bolo do lugar. O prédio foi modificado em relação ao original, tendo sido fechado nas extremidades, mas sinceramente, perto dos absurdos que estou acostumado a ver por este país sem memória, nem acho que ficou ruim não. Por lá há muita vida, um ar de atualidade em meio ao passado explícito e essa amálgama me fez bem. De lá, seguimos para Carlos Gomes Nova, que é uma outra história.

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.

PANORAMICA_JAGUARIUNA_MOGIANA_01

Joia rara no Brasil.

PANORAMICA_JAGUARIUNA_MOGIANA_02

Morri de vontade de tomar um chope aí!

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER JAGUARIUNA MOGIANA

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

ANHUMAS NOVA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 10.02.2012
DESTINO: Estação Anhumas Nova
LOCALIZAÇÃO: Município Campinas – SP
COORDENADAS: 22°51’31.32″S 47° 1’47.10″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim, em pleno uso pela ABPF
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1926
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, e muito bem conservado
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Esta foi sem dúvida, uma das mais importantes expedições que eu realizei nestes quase 3 anos de Projeto. Tanto pelo número de estações visitadas (23 no total), quanto pela importância das mesmas. Ter estado em Anhumas Nova e poder ter sentido na pele aquele “clima ferroviário” foi uma sensação indescritível. Provavelmente por ter ido sozinho, numa jornada um tanto introspectiva, as experiências vividas possam ter ganhado mais relevância e densidade, mas independente disso, o que vocês verão aqui, fala por si só. Anhumas Nova está localizada a uns 300 metros da estação Anhumas Original (infelizmente quando lá estive, não sabia disso e acabei documentando apenas a nova), e fica bem próxima da Rodovia Dom Pedro, praticamente atrás do Carrefour em Campinas. Como sede da A.B.P.F. (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária), o local está muito bem conservado, com tudo no lugar, dísticos, plataforma, prédio, hall de entrada, placas, composições antigas, locomotivas à vapor, enfim, é uma locar que merece ser visto, visitado e explorado ao máximo, pois oferece ótimas vivências, tanto para quem viveu este universo, quanto para quem não teve esta oportunidade. Andei por lá, vi cada detalhe, tive que ser breve, pois o tempo era curto e as informações vastas, mas acredito ter conseguido trazer bons conteúdos. O nome Anhumas é derivado de um riacho próximo e também de um tipo de ave que habitava o local. A estação oferece um passeio turístico que segue até Jaguariúna, e que espero poder fazer um dia. Fica a dica de um lugar interessantíssimo e que você deve incluir no seu roteiro, quando estiver por aquela região. De lá, segui para Viracopos, uma triste realidade perto dessa, o que já é outra história…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER ANHUMAS NOVA

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

ASTRAPÉIA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 06.04.2012
DESTINO: Estação Astrapéia
LOCALIZAÇÃO: Município Aguaí – SP
COORDENADAS: 22°10’29.05″S 46°94’58.22″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim, em pleno uso
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1912
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Demolido, somente alguns restos de tijolos ainda marcam o local
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Vinicius Costa, José Antonio Thomaz e Raul Otuzi de Oliveira

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Bem, de forma não usual, vou começar este resumo pelo significado do nome “Astrapéia”, visto que despertou a minha curiosidade desde o meu primeiro contato com ele (achei-o extremamente sonoro e diferente), alguém aí já ouviu falar, ou sabe o que é uma Astrapéia? “A astrapéia é uma arvoreta ou arbusto de ótimas características ornamentais, que se espalhou pelo mundo por sua exuberância e popularidade.” Isso posto, vamos falar um pouco do que vimos no local da velha estação, há muito demolida. Hoje, o que mais chama a atenção é a pequena capela que existe bem em frente aonde um dia a estação existiu, fora isso, apenas uma grande árvore (seria ela a tal Astrapéia?) marca o ponto da plataforma e possivelmente também do prédio. Por lá apenas alguns restos de pedras, que dificilmente seriam da estação, alguns postes da rede de eletrificação ferroviária, e mais nada. Percebe-se porém com clareza, que por ali existiu alguma construção no passado, pois há um recuo e um descampado típicos de áreas de demolição. Andamos por lá, falamos com um motorista de trator que estava parado por ali, mas que nada nos acrescentou a não ser que a estação de Mato Seco era mais a frente (?), mas de Astrapéia mesmo, nada. Fotografamos e filmamos o local, andamos até a P.N. (passagem de nível) ali ao lado, vimos a placa de cruzamento de via férrea, tentamos ainda encontrar mais algum indício, mas realmente por lá nada restou. Para que tenham idéia, quando eu era criança e ia até Aguaí de trem com o meu saudoso avô Pedro (isso em idos de 1985), ele sempre falava de Mato Seco, Orissanga, Mogi-Guaçu, localizadas mais a frente, mas nunca de Astrapéia, então acho que desde esta época ela já deveria ter sido demolida. Enfim, espero que curtam o que pudemos trazer de lá. Por enquanto é isso, mas se alguém tiver mais materiais de lá para contribuir, basta me enviar que publico, ok?

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER ASTRAPEIA

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.