Posts encontrados com a Tag: "FRANCISCO SCHMIDT"

FAGUNDES

DATA DA EXPEDIÇÃO: 25.08.2012
DESTINO: Estação Fagundes
LOCALIZAÇÃO: Município Cravinhos – SP
COORDENADAS:  21°16’54.60″S 47°44’0.51″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1910
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, servindo de depósito particular
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Claudinéia de Marchi, Dog e Junior

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Fagundes está localizada praticamente atrás de uma grande empresa de agronegócio na região de Cravinhos. Está conservada, cercada e é hoje uma propriedade particular. Encontrá-la foi difícil, pois nunca consegui referências confiáveis sobre a sua localização, até que um dia resolvi ir até as redondezas de onde ela teoricamente estaria, e utilizando a minha técnica infalível (tentativa e erro), consegui achá-la. É um prédio bonito, no padrão Mogiana, de tijolos aparentes, já um pouco alterado, mas ainda bem mantido. As alterações ao que me pareceu, se resumiram a duas coberturas laterais, que trouxeram os dois lados do telhado quase até o chão, lembrando um chalé. Acho, que para conseguir mais espaço interno para armazenagem. Fagundes está no meio de um grande canavial, e é como uma ilha, ficando bem visível quando a cana está baixa. Como não entrei, não consegui ver as placas e lousas, mas não duvido se ainda estiverem lá, e olha que Fagundes foi desativada em meados da década de 50 hein! Com uma terra vermelha de doer, a cada rajada de vento eu era “tingido” enquanto andava por lá. Completavam o cenário, a Néia na caminhonete, o Dog e o Junior, meu dois Schnauzers latindo que nem loucos…. Fagundes estava no antigo Ramal de Jandaia entre as estações de Bifurcação e Arantes (também visitadas por nós) e sua principal função era o escoamento da produção cafeeira, muito forte na região de Cravinhos e Ribeirão Preto naquele tempo. Dela seguimos para a “Figueira do Arantes”, aonde se encontram os restos da estação Arantes, já demolida… >>

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

ILUSTRAÇÃO DO LOCAL:
Tendo como base as imagens reais de cada local colhidas pelo Projeto Estações Brasileiras, eu desenvolvo uma ilustração que retrate emocionalmente o espírito de cada estação/parada, ou mesmo do seu entorno, no caso de já não existirem mais. A intenção é que sirva de estímulo para a interpretação crítica de cada um, seja de forma positiva, negativa, carregada de saudosismo, ou mesmo de forma contemplativa apenas. Espero que curtam.
FAGUNDES_01

POSTERS VINTAGE:
São ilustrações com base fotográfica, que faço sobre algumas estações que representaram algo para mim. Também tenho feito sob encomenda para pessoas que querem presentear alguém ou mesmo simplesmente tê-las para recordação de algum momento marcante, ou apenas como decoração. Todo o valor obtido com a venda destas telas, é revertido integralmente para custear novas expedições do Projeto. Nada é destinado a mim ou ao meu sustento, para isso: eu trabalho.
COLLECTION_02

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

PONTAL

DATA DA EXPEDIÇÃO: 18.09.2011
DESTINO: Estação Pontal
LOCALIZAÇÃO: Município Pontal – SP
COORDENADAS: 21° 1’16.70″S 48° 2’20.40″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim, em processo de restauração para uso turístico
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1903
CONSTRUÇÃO: Companhia Paulista de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, fechado e abandonado
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e José Antonio Thomaz

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Pontal foi uma das primeiras estações visitadas pelo Projeto Estações Brasileiras, há mais ou menos um ano. Quando estive lá, o local estava todo depredado, seu entorno abrigava alguns usuários de drogas, e o prédio da antiga estação estava lacrado por tijolos, parcialmente derrubado e sem telhado. O enorme armazém que fica defronte a estação era o que apresentava melhores sinais de conservação. A vila ferroviária ao lado também não estava nos seus melhores dias, e não pude perceber nenhum sinal de melhoria por lá. Agora com o Projeto Trem da Cana, um trem turístico/temático que vai ligar Sertãozinho à Pontal, resgatando um pouco da história férrea da região, espero que ocorra uma revitalização de todo o trecho incluindo as suas estações. Torço muito para que isso ocorra. Espero voltar lá em breve, para poder apreciar o trecho restaurado pela parceria firmada entre a AMPF (Associação Mogiana de Preservação Ferroviária), prefeituras locais e a concessionária FCA (Ferrovia Centro-Atlântica). Por enquanto é isso, mas se tiverem conteúdo mais atual, é só me enviar. De lá, seguimos para Passagem…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

CERRADO

DATA DA EXPEDIÇÃO: 24.09.2011
DESTINO: Estação Cerrado
LOCALIZAÇÃO: Município São Simão – SP
COORDENADAS: 21°32’56.21″S 47°27’38.36″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1892
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, muito bem conservado, particular e servindo de moradia
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e João Julio Oliveira

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Encontramos Cerrado por acaso. Estávamos atrás de Santos Dumont Nova, já havíamos passado por São Simão, entrado numa enorme mata de eucaliptos, quase atolado o carro num areião, até que nos deparamos com a estação que julgávamos ser Santos Dumont, mas não, era Cerrado. Assim, de novo fomos testar nossas habilidades sociais, eu e o João Julio tínhamos que entrar no local que hoje é um sítio, para conseguirmos as imagens que queríamos e assim foi feito. Tivemos que gesticular da porteira que fica bem longe da sede do sítio, até que o caseiro pudesse nos ver e ir até lá nos atender. A partir daí conseguimos conversar com o proprietário que nos autorizou a colher imagens do local, não sem antes comentar que há algum tempo andaram fotografando por lá sem o seu consentimento e as fotos foram para na internet, fato que não o agradou muito. Mas conosco foi diferente, ele até nos acompanhou pelo local, contando um pouco da história e nos mostrando diversos detalhes da velha estação. Lá estavam bem conservados, a caixa-d’água, o prédio, seus dísticos, as placas das passagens de nível, as placas de altitude e quilometragem, as casas da vila ferroviária e até uma singela capelinha com detalhes bem interessantes (vide imagens da galeria e mini-filme). Foi uma grata surpresa termos encontrado Cerrado e valeu cada minuto, de lá seguimos para Santos Dumont Nova, mas isso já é outra história.

UPDATE DO POST EM 22.09.2015:
Enviado por Manuel Pacheco Neto.
“Esta estação tem uma história conhecida na região. Foi lá que o célebre matador Diogo da Rocha Figueira (Dioguinho) cometeu o famoso “Crime da Estação de Cerrado” no final do século XIX, juntamente com seu irmão João Dabney e Silva (Joãzinho). Diogo foi contratado pelo fazendeiro Manoel Ferreira, para que matasse Marciliano Pereira Machado Sobrinho, pois o mesmo estava flertando com Balbina de Jesus, que era amante do já nomeado proprietário rural. Diogo, seu irmão e alguns capangas se dirigiram à estação, foram à casa de Balbina (que morava nas proximidades) e deram nela uma forte surra de rabo de tatu, além de raspar-lhe a cabeça. Depois foram à cavalo até as proximidades da plataforma da estação de Cerrado, para aguardar a chegada de Marciliano, o homem que deveriam matar. Ao chegar à estação Marciliano avistou Diogo e tentou evadir-se entre os trens que estavam estacionados no pátio, mas foi alcançado pelo bando e atingido com cinco tiros de carabina, dois disparados por Diogo e três pelo seu irmão. O cadáver do executado foi conduzido mato adentro, até a divisa dos municípios de São Simão e Santa Rita do Passa Quatro, onde foi deixado. Os detalhes da crueldade de Dioguinho são muitos e célebres neste episódio da Estação de Cerrado. Por isso não os narraremos aqui. O crime ocorreu em fevereiro de 1897 e foi decisivo para que a polícia da capital viesse para a região de Ribeirão Preto e iniciasse uma caçada sem tréguas, até que o famoso criminoso e seu irmão foram emboscados no rio Mogí Guassú e fuzilados, no início de maio do mesmo ano. O corpo de Dioguinho, que caiu da canoa e afundou, nunca foi achado. O de seu irmão foi encontrado dois dias depois. Até hoje uma cruz existe nas margens do Mogí, assinalando o final da carreira de crimes de Diogo e seu bando, nas terras nomeadas Santa Eudoxia, de propriedade do Visconde de Cunha Bueno e de seu filho, o senador Alfredo Ellis…”

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

FRANCISCO SCHMIDT

DATA DA EXPEDIÇÃO: 18.09.2011 e 12.10.2011
DESTINO: Estação Francisco Schmidt
LOCALIZAÇÃO: Município Pontal – SP
COORDENADAS: 21° 4’12.23″S 48° 2’15.26″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim (sem uso)
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1906
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Conservado, serve como moradia
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, José Antonio Thomaz e Daniel Franc

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Francisco Schmidt está localizada dentro da Fazenda Vassoural, na estrada que liga Sertãozinho a Pontal. É uma fazenda linda, e o fato dos proprietários permitirem o acesso até a velha estação, já é por si só motivo de reconhecimento. Muito bem conservada, hoje ela por ironia do destino, serve como uma espécie de aeroporto particular, já que há uma pista de pouso bem à sua frente. O local é belo por todos os ângulos, desde a chegada, vindo de Sertãozinho, até a sequência pela linha abandonada que vai até Pontal, tudo inspira belas imagens (vide fotos abaixo). Quando estivemos lá, existiam vários dormentes aguardando a chegada das obras do “Trem da Cana”, um trem turístico que ligará Pontal a Sertãozinho reativando aquele trecho para a população. Ir até Francisco Schmidt é um passeio muito agradável e fácil, caminho asfaltado até a entrada da fazenda e uns 1.000m de estrada de terra para dar um charme na chegada até a velha estação. Num dia lindo, de lá partimos para Pontal e para Passagem, mas essas histórias vão ficar para outra ocasião…

FOTOS DO LOCAL:

 

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.