Posts encontrados com a Tag: "FIGUEIRA"

ESTAÇÃO 28

DATA DA EXPEDIÇÃO: 29.09.2012
DESTINO: Estação 28
LOCALIZAÇÃO: Município Ribeirão Preto – SP
COORDENADAS: 21°10’33.65″S 47°41’52.24″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim (ainda em uso)
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1963
CONSTRUÇÃO: Estrada de Ferro São Paulo e Minas
STATUS DO PRÉDIO: Demolido, apenas a plataforma ainda existe
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Claudinéia de Marchi

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Estação 28, mas pode me chamar de Quilômetro 3… Foi bem isso que percebi quando cheguei ao local da antiga estação da E.F.S.P.M. em Ribeirão Preto. Hoje, encontra-se localizada atrás de vários condomínios na zona leste da cidade, está dentro de uma fazenda e acessá-la não foi, digamos, confortável. Eu e a Néia estávamos indo ao Shopping quando decidi alongar um pouco o caminho e passar pelas redondezas da Estação 28, e a partir daí, a mudança de destino foi automática. Depois de alguns caminhos frustrados, conseguimos chegar até ela por um trajeto bem mais longo, mas que deu certo e resolveu a questão. A Estação 28, com o fechamento do trecho entre Bento Quirino e Ipaúna (Serrinha), passou a se chamar Quilômetro 3, pois a contagem passou a ser realizada a partir de Evangelina, daí a razão do conflito de nomes. Hoje o local está há poucos metros da linha tronco que segue rumo a Cravinhos, num trecho onde só circulam trens vindos de Biagípolis, carregados de açúcar e álcool. Estação 28 é apenas uma plataforma (até que grande), no meio do mato, sem paredes, sem armazém, sem caixa-d’água, sem desvios, enfim, sem nada. Uma cerca de arame farpado percorre toda a lateral da linha naquele local, e para entrar lá, a Néia teve que esticar o arame e eu tive que passar pelo vão… Programão para quem ia pro Shopping nénão? Brincadeiras a parte, foi mais uma estação catalogada que valeu muito a pena, e de lá enfim, fomos para o Shopping…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER ESTAÇÃO 28

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

FIGUEIRA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 07.01.2012
DESTINO: Estação Figueira (Parada)
LOCALIZAÇÃO: Município Serrana – SP
COORDENADAS: 21° 9’20.83″S 47°39’0.86″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1960
CONSTRUÇÃO: Estrada de Ferro São Paulo e Minas
STATUS DO PRÉDIO: Demolido, apenas poucos resquícios restaram no local
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, José Antonio Thomaz, Pedro Gandra de Carvalho e Vinicius Costa

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Saímos bem cedo e seguimos para Figueira, cortando os canaviais da região de Ribeirão Preto e Serrana. Nessa andança, encontramos muita coisa bacana, dentre elas, os resquícios da velha estação, que na verdade, era uma parada da Estrada de Ferro São Paulo e Minas, situada no quilômetro 23 do ramal de Ribeirão Preto. Para acessá-la, tivemos que andar pelo leito da linha, pois de carro não se chega até o ponto exato. Deixamos a “Pretona” bem à frente do local e voltamos a pé, atravessando mato, subindo ribanceiras, andando sobre pontes, enfim, o dia tinha começado exigente, pelo menos no aspecto físico. Chegando até Figueira, pudemos observar os restos da antiga plataforma, cobertos pelo mato alto, alguns dormentes empilhados e mais nada. Nem placa, nem caixa-d’água, nada… apenas a linha telegráfica e seus postes ainda resistiam por lá, mesmo que parcialmente caídos, mas ainda estavam lá. Da velha parada mesmo, nada restou, mas seu entorno tinha beleza, seja por causa do riacho Tamanduá que passa bem perto e tem uma bela ponte, seja por causa do cenário em si, que apesar de cercado por cana, ainda oferecia belas vistas, ou mesmo pela jornada, que nos fez acordar de um jeito diferente naquele dia. Assistam o mini-filme, vejam a galeria de fotos, e me digam se não foi um dia legal… De lá, seguimos para Pio Alves.

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.