Posts encontrados com a Tag: "FERROCARRILES"

PANDO*

ESPECIAL URUGUAI
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN PANDO / Outubro de 2014
Estive em Pando vindo de Punta del Este e seguindo para Montevideo. É uma cidade pequena, com cerca de 30 mil habitantes e que está localizada na região metropolitana da capital uruguaia. Andei por uns 10 minutos até que encontrei a estação, que, não para a minha surpresa, encontrava-se abandonada e depredada. Pichações, abandono, cheiro de urina e alguns adolescentes curtindo a sua maconha, e bem desconfiados de mim, visto que lá, o consumo é permitido. Fora isso, a realidade ferroviária do nosso vizinho não se difere muito da nossa. Linhas extintas, prédios em ruínas ou abandonados a própria sorte e material rodante enferrujando ou apodrecendo nos pátios dos “talleres” que ainda restam em operação por lá. Andei por toda a estação, apreciei a sua bela arquitetura, lamentei o seu estado e segui viagem. Infelizmente Pando não oferecia muitos atrativos além deste velho prédio. Abaixo um texto que encontrei na inernet explicando um pouco do local:

Ubicación: Pando
Dirección: Iturria entre Gral. Artigas y 18 de Julio
Autor: Ingeniero Luis Andreoni
Año: 1882

La inauguración de la vía férrea a Pando fue producto de un largo proceso. El trazado primitivo de la línea comenzó en 1874, bajo el gobierno del Dr. José Ellauri. Al año siguiente, las obras se detuvieron. El gobierno de Latorre decidió reanudar la obra, y concedió una subvención al nuevo concesionario, Luis Ma Baena. En 1879 se culminó el tramo a Toledo, y nuevamente se paralizaron las obras hasta su concreción en 1882.

El edificio de la estación de trenes de Pando fue obra del Ing. Andreoni. Desde su inauguración no ha sido modificado. En la ceremonia oficial de inauguración del tramo de vía que unía Toledo y Pando, realizada el 12 de junio de 1882, participó el presidente de la república de entonces, el general Máximo Santos. La recepción social se realizó en el salón del teatro Apolo, congregando a autoridades y a la sociedad pandense de la época. La comitiva oficial arribó en un tren engalanado para la ocasión acompañado de una banda militar.

Al Ing. Andreoni, corresponden otras obras vinculadas al ferrocarril, como el tramo que conecta Pando a Minas, del Ferrocarril Uruguayo del Este, Pando–Minas, proyectada en 1881 e inaugurado el 6 de enero de 1889.

Luis Andreoni era originario de Vercelli, Italia, y residió en Pando durante algunos años, contribuyendo al progreso industrial de la localidad. Fue propietario del Molino Harinero del Este, y realizó varias obras de gran envergadura en el país, como la desecación del Bañado de India Muerta en Rocha, la Estación Central de Ferrocarriles, el Hospital Italiano, el club Uruguay, la Embajada de Francia y el teatro Stella de Italia.

La llegada del ferrocarril a esta región fue un gran impulso para la el desarrollo de la producción industrial que históricamente ha caracterizado a esta región del departamento de Canelones. Abaixo seguem fotos e o mapa de sua localização:

FOTOS DO LOCAL:

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.
PANORAMICA_PANDO

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

BOSA*

ESPECIAL COLÔMBIA
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN BOSA / Maio de 2013
Inaugurada em 1899 a estação de Bosa tem, por onde quer que se pesquise, uma relevância interessante no tocante a sua arquitetura (?) que, sinceramente, estive no local e pude ver que não é nada demais, perto dos espetaculares prédios que temos enfurnados pelo interior do Brasil. Mas enfim, voltemos a Bosa, que era uma estação para escoamento de produtos agrícolas da região e que hoje fica as margens de uma grande rodovia denominada Autopista Sur. Chegar até ela não foi fácil, ninguém em Bogotá (motoristas de taxis) sabia muito a seu respeito, meu espanhol é parco, mas meu gestual e minha perseverança compensaram tudo isso. Andamos bastante num trânsito lazarento, passamos por lugares de fazer inveja a quaisquer subúrbios brasileiros, até que chegamos a pequena estação Bosa. Tudo lá estava lacrado, muita gente ao seu redor transitando freneticamente e pelo que pude ver, ela hoje é uma fundação cultural local. De lá, voltei para o hotel em Bogotá, numa jornada bastante turbulenta, lenta e cansativa de carro pelo trânsito colombiano, mas certamente, valeu cada dissabor.

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

TEOTIHUACAN*

ESPECIAL MÉXICO
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN TEOTIHUACAN / Maio de 2015
Quando fiquei sabendo que iria para o México, esta estação me chamou a atenção logo de cara, pela sua localização, praticamente ao lado das famosas Pirâmides de Teotihuacan (ou Teotihuacán, como queiram). Situada às margens da rodovia que liga a Cidade do México à Teotihuacan, num acesso um pouco confuso que nem mesmo o motorista do nosso táxi conhecia, lá estava a velha estação, construída a 2.280m de altitude, distando 45 km da estação Buenavista na Cidade do México, com o seu prédio ainda em pé, e suas linhas ainda servindo de forma plena. Por lá, vi apenas cargueiros e uma edificação semi-abandonada, que contava com dois funcionários da ferrovia, que foram muito gentis, me deixando explorar o lugar com tranquilidade. Placa de nome, caixa-d’água, plataforma coberta, dos dois lados dos trilhos, placa de altitude e quilometragem, tudo incrivelmente ainda ali. Também conversei com o gerente de uma pousada exatamente defronte a estação, que infelizmente não me recordo o nome, que me contou que muitos turistas chegam ali, para fotografar a estação e acabam por pernoitar em sua pousada. Ele trabalhou por 26 anos na ferrovia e lamenta (como aqui no Brasil) a falta de investimento e consequentemente o abandono de várias linhas e ramais, que poderiam transportar além de cargas, pessoas e sua histórias. De lá, seguimos rumo às pirâmides, sempre ouvindo claramente os sons da atividade ferroviária dali da estação. E, claro, o motorista (Federico) nos agradeceu por apresentar-lhe a este lugar tão antigo e pouco conhecido do seu próprio país.

FOTOS DO LOCAL:


PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.
PANORAMICA_TEOTIHUACAN

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

PEÑAROL*

ESPECIAL URUGUAI
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN PEÑAROL / Outubro de 2014
A estação Peñarol, está localizada no bairro homônimo na cidade de Montevideo e, hoje serve como base local da AFE – Administración de Ferrocarriles del Estado e também como um museu. O prédio da estação assim como o seu entorno foi restaurado recentemente e está em boas condições. Por lá o clima ferroviário se faz presente por todo lado, pois bem em frente, existe um grande pátio férreo, casas de conserva, oficinas, cancelas, cabines de controle, enfim, um prato cheio para os aficcionados pelo tema. O complexo começou a funcionar em 1891 e hoje, apesar do ar de abandono, ainda serve como depósito de locomotivas, aonde não pude de forma nenhuma entrar para documentar. Ter estado por lá, valeu cada segundo e me rendeu um amigo, Eduardo Burgos, que me apresentou o local e foi extremamente gentil. Valeu.

Abaixo seguem fotos e o mapa de sua localização:

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

MAIPÚ*

ESPECIAL ARGENTINA
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN MAIPÚ / Dezembro de 2010
A estação Maipú é o ponto de partida do Tren de La Costa, um trem turístico que segue até o Delta do Tigre, num passeio bem legal, especialmente para os que gostam do tema ferroviário e suas belas paisagens. Esta estação se liga através de uma ponte com outra, chamada Bartolomé Mitre, cujos trilhos vem da estação Retiro, em Buenos Aires. O Tren de La Costa apesar de ativo, me deu a impressão de decadente, com alguns sinais claros de manutenção falha e descuidos no atendimento e serviços. Ainda assim, vale a jornada.

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

PUERTO MADERO*

ESPECIAL ARGENTINA
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN PUERTO MADERO / Dezembro de 2010
A estação Puerto Madero foi inaugurada em 1949 e anteriormente chamava-se 1º de Marzo. Está localizada no bairro homônimo, onde hoje estão localizados muitos restaurantes, lojas e concessionárias de automóveis de altíssimo luxo. Fica atrás da Casa Rosada, sede do governo argentino e pelo que pude ver, não está mais sendo utilizada, embora esteja bem conservada. Abaixo seguem fotos e o mapa de sua localização:

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

ANA COSTA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 08.11.2012
DESTINO: Estação Ana Costa
LOCALIZAÇÃO: Município Santos – SP
COORDENADAS: 23°57’31.82″S 46°19’56.03″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1913
CONSTRUÇÃO: Southern São Paulo Railway
STATUS DO PRÉDIO: Em pé e bem conservado, é hoje a “Estação da Cidadania de Santos”
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Claudinéia de Marchi

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Estive na Estação Ana Costa, que encontra-se localizada num cruzamento extremamente movimentado em Santos (Av. Dona Ana Costa e General Francisco Glicério), praticamente dentro de um hipermercado. Está restaurada e servindo como Estação da Cidadania local. É um prédio amarelo bonito, com um relógio grande logo na entrada e um amplo recuo de paralelepípedos à sua frente, possibilitando uma bela vista frontal do prédio. Não vi sinais de caixa-d’água, nem trilhos próximos ao prédio. O tempo não estava muito bom naquele dia, por isso a passagem por lá foi rápida, mas não menos produtiva, pois acredito que consegui boas imagens para compartilhar com vocês. Hoje, não fosse pela construção histórica do prédio e por alguns trechos da linha, que ainda possuem trilhos ali por perto, nem daria para afirmar que lá foi uma estação ferroviária um dia. Indico a visita apenas para os muito interessados no assunto, pois para se conseguir uma vaga de estacionamento ali nas redondezas, não foi fácil não. Uma opção seria parar o carro no próprio hipermercado, mas como eu não ia comprar nada ali, preferi não ser “mais um espertalhão no mundo” e deixar a vaga para os reais clientes do local. De lá segui para o Estuário…

COMPLEMENTO:
Amigo, belo trabalho o seu , mas , apenas uma correçãozinha, se voce me permite. A estação de Santos,  na avenida Ana Costa com a avenida Francisco Glicério, entre os bairros do Gonzaga com o Campo Grande, foi construída pela Estrada de Ferro Sorocabana, e não pela Southern São Paulo Railway (a conhecida Santos a Juquiá ). Esta estação é irmã gêmea da Estação da Luz e ambas são de 1937-38 e hoje, 2014 , abriga o forum da cidadania de Santos. Observação: a cidade de Santos detesta tanto as linhas como os trens que passavam por alí, pois diziam que os maquinistas buzinavam muito, acordando-os de seus sonos, e mais, diziam “as autoridades, que a linha da Sorocabana dividia a cidade em duas partes e de forma terrível (diziam eles) desvalorizavam os imóveis localizados na parte centro das linhas da velha Estrada de Ferro Sorocabana. Estas linhas, da famosa Santos a Juquiá, eram na verdade desde de 1914, as linhas da Southern San Paulo Railway, ou Southern São Paulo Railway, que fazia parte de um grande projeto de Percival Farqhuar (investidor e especulador franco americano, nascido na Pensylvania – EUA) sim, seu projeto aceito pelos governos federais brasileiros republicanos, era de unir a região sudeste a região sul do brasil e os países limítrofes, como Argentina, Paraguai , etc…  Deste projeto inacabado, surgiu a famosa guerra do contestado. Obrigado amigo, vi suas filmagens e sou fã de todos os seus vídeos . Salve o trabalho “Estações Brasileiras Marcelo Tomaz “, pois é daqueles que você não consegue parar de assistir e até perde alguns compromissos só para ver os videos. Maravilhoso trabalho amigo. José Marques. (do canal  setevezessete49  no youtube , onde estão os vídeos chamados “poesia ferroviária”). – Enviado por José Marques em 12/02/2014

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER ANA COSTA

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.