11/05/13

PERUS (E.F.P.P.)

DATA DA EXPEDIÇÃO: 05.11.2012
DESTINO: Estação Perus (E.F.P.P.)
LOCALIZAÇÃO: Município São Paulo – SP
COORDENADAS: 23°24’17.64″S 46°45’13.90″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1914
CONSTRUÇÃO: Estrada de Ferro Perus-Pirapora
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, porém fechado e cercado
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Pedro Gandra de Carvalho e Vinicius Costa

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Fomos até a estaçãozinha de Perus da antiga E.F.P.P. (Estrada de Ferro Perus-Pirapora), que atualmente está localizada dentro de uma estação maior e muito mais movimentada, que é a de Perus ex-S.P.R. (São Paulo Railway), hoje da C.P.T.M. (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), aonde o fluxo de pessoas e a movimentação de trens é impressionante. Por lá, ainda encontram-se resquícios de um passado bem característico, como a tradicional passarela de ferro da São Paulo Railway ligando as duas enormes plataformas, algumas placas e claro, o predinho da estação Perus-Pirapora, este sim, simples, pequeno e bastante acanhado, com um telhadinho duas águas, cercado por todos os lados, tendo sido literalmente “engolido” pela cobertura da plataforma principal da C.P.T.M. Não conseguimos entrar, mas vi um funcionário sair de lá com produtos de limpeza, e logo em seguida, outro entrar para pegar mais, portanto imagino que ele seja usado hoje, como depósito, almoxarifado ou algo semelhante. Para quem for até lá, o predinho fica a uns 50 metros dentro da plataforma principal, praticamente anexado ao prédio da estação da C.P.T.M., vale como curiosidade, pois pouco se vê dele, e informações ao seu respeito praticamente não existem por lá. De lá, seguimos para a estação Luz…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER PERUS EFPP

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

Conteúdos Relacionados:

5Comentários

  1. 24/05/13 às 23:22
    José Paulo Bená:

    Ola, primeiramente gostaria de parabeniza-los pelo maravilhoso trabalho de nos mostrar essa parte de nossa história esquecida por muitos. Passei horas olhando e analisando todo o trabalho de vocês juntamente com o meu pai que é apaixonado pela história. Resido na cidade de Tambaú -SP adorei ver as estações de minha cidade mas senti falta da principal que fica no centro e que hoje abriga o Gabinete do Prefeito e ainda mantém a casa do chefe da estação em bom estado de conservação que também é de propriedade da Prefeitura Municipal. Meu pai adorou ver a estação da Amália – Santa Rosa de Viterbo, pois quando criança residia na fazenda Amália e depois na cidade de Santa Rosa de Viterbo onde residia próximo a estação ainda quando o trem passava por lá. Mais uma vez parabéns pelo trabalho e muito obrigado por proporcionar bons momentos de cultura e conhecimento, abraço a todos da equipe.

  2. 30/05/13 às 16:45
    marcelo:

    Muito obrigado José Paulo. Já visitamos Casa Branca Velha e logo estará postada. Fique de olho que também postaremos Briaréu, que é uma jóia de Casa Branca também. Abs

  3. 31/05/13 às 14:25
    Guilherme:

    Parabéns pelo site! Como amante de ferrovias, fiquei bastante contente de ver o belo trabalho que vocês fazem, com ida “in loco” aos locais.

    Vi em um dos posts que sentiram falta de um 4×4 para acessar locais, me coloco a disposição para alguma expedição que queiram fazer.

  4. 31/05/13 às 15:19
    marcelo:

    Olá Guilherme, vc é de onde?
    Quanto ao 4×4 eu tive que comprar um para resolver o problema. Mas se quiser ir em uma dessas, é só falar.
    Abs

  5. 12/04/16 às 17:27
    Ísis Ewert:

    Em 29 de Julho de 2000 houve um choque de trens da CPTM que destruiu muito da parte histórica desta estação. Por isso que, na época da expedição estava fechada, acredito eu. Procuraram restaurar o pouco que sobrou. :(

Deixe seu Comentário