11/12/13

CORONEL MANOEL JOAQUIM

CEL_MANOEL_JOAQUIM

Como não é nosso hábito invadir propriedade de ninguém, documentamos o pouco que pudemos ver e seguimos adiante na nossa jornada. Por lá, vimos a estação ainda com o dístico, porém apagado, uma casinha menor pouco à frente, e a antiga caixa-d’água (Ransomes & Rapier, claro), mas tenho a impressão de que vimos mais a parte dos fundos do prédio do que a frente, e sendo assim, não pudemos saber como está a plataforma… >>

09/12/13

LUZ

LUZ

Conhecer a estação Luz foi uma experiência incrível. É um prédio centenário, que serviu como sede da São Paulo Railway ou “Inglesa”. Assim era comumente conhecida nos idos de 1900 a Companhia que construiu a estrada de ferro, que ligava a cidade de São Paulo ao litoral, mais precisamente a Santos, por onde escoavam as sacas de café que vinham do interior de São Paulo. Andamos por lá, vimos cada detalhe, e o capricho com que foram construídos cada componente da estação, que teve a sua parte metálica toda vinda da Inglaterra em módulos para serem montados aqui… >>

09/12/13

GENERAL BROWN (PARADA CAMINITO)*

GENERAL BROWN

A estação General Brown foi inaugurada em 1866 pela Ferrocarril Buenos Aires al Puerto de La Ensenada, e hoje encontra-se demolida. Esta pequena parada, está construída a poucos metros do local da estação original que era mais a frente, na esquina com a Calle Olavarría… >>

07/12/13

TAPUIA

TAPUIA

A palavra Tapuia durante séculos serviu para designar os índios que não falavam a língua Tupi, e também emprestou o seu nome à esta estação da Cia.Paulista, localizada próxima da divisa dos municípios de Santa Lúcia e Rincão. Estive lá com o meu Tio Zé e com o Vinicius, atrás do que restou do velho prédio ferroviário. E não foi muito, para não dizer, quase nada. Por lá, apenas restos da plataforma cobertos pelo mato alto ainda resistem e nada mais… >>

04/12/13

VISCONDE DE PARNAÍBA

VISCONDE DE PARNAIBA

Visconde de Parnaíba é uma estação da antiga Linha do Rio Grande localizada no município de Jardinópolis. Era a segunda no sentido de Minas Gerais e ficava logo após as de Entroncamento (tronco original) e de Jurucê, quando a linha ainda existia e era ativa. Estivemos lá e vimos de perto cada detalhe do prédio, que ainda conta com dístico legível, lousas, plataforma coberta, caixa-d’água e o recuo do leito ainda bem delineado à frente do prédio. As placas de quilometragem e de altitude não estão mais por ali e o galpão está sendo utilizado com depósito e está fechado. É uma construção típica da Cia.Mogiana, sendo um prédio de tijolos aparentes e, diferentemente de outros tantos da região, ele possui um segundo pavimento, o que lhe dá maior imponência e até, certo requinte… >>

02/12/13

PRADÓPOLIS

PRADOPOLIS

Estivemos em Pradópolis em três ocasiões, sendo duas delas após o início deste Projeto. Na primeira, ainda não colhíamos vídeos dos locais, daí a necessidade de retornarmos para complementar nossa tarefa. A antiga estação da Cia. Paulista antes chamada de Martinho Prado, está há muito tempo desativada, ainda que por aquela linha trafeguem composições carregadas de açúcar da Usina São Martinho, o velho prédio não possui função nenhuma e é o fim do ramal, visto que a linha que seguia sentido Barrinha não está mais operacional há muito tempo. Os trens por ali, seguem pelo ramal da usina aonde são carregados e partem no sentido de Campinas, sem parar na estação (para evitar furtos, segundo um segurança da usina nos disse). O local, afastado uns 7km da cidade, está favelizado… >>

30/11/13

CÓRREGO RICO

Encravada no meio das árvores, esta vista é difícil…

Estivemos em Córrego Rico por duas vezes, sendo a primeira delas logo no início das expedições deste projeto, e a outra agora, recentemente, para captar os vídeos, pois naquela época, documentávamos os locais visitados apenas através de fotos e relatos, sem os mini-filmes. Bom, a velha estação hoje serve como residência, sede de uma igreja e também de um projeto social, possui uma grande horta que ocupa o local aonde percorria o antigo leito do Ramal de Jaboticabal, isso há muito tempo atrás, visto que hoje por lá não há sinais de trilhos e mal se percebe por onde passava a antiga linha… >>

28/11/13

PALMÉIA

PALMEIA

Estivemos em Palméia e pudemos documentar “in loco” as reais condições da velha estação da Cia. Mogiana em terras mineiras. Palméia a princípio estaria em terras pertencentes à Monte Belo, mas durante nossa pesquisa percebemos que ela estava em território de Muzambinho, cidade vizinha e então corrigimos o curso das coisas. É um vilarejo (não sei se é um distrito ou somente uma vila), bastante simpático e quando lá estivemos, possuia um clima bem agradável, um vento gostoso que dava um ar de frescor e liberdade… >>

17/11/13

HIPÓDROMO

Cores fortes.

É um prédio diminuto, acanhado, por vezes parecendo até uma casinha de bonecas, está cercado e servindo como moradia para alguma família. Quando estávamos lá, fomos abordados por uma senhora que nos perguntou se estávamos ali para tirá-los de lá, o que me mostrou que de fato, aquele pessoal encontra-se ali de forma irregular… >>

13/11/13

GUAIUVIRA

GUAIUVIRA

Chegamos à Guaiuvira vindos de Cresciúma e a caminho de Sales Oliveira e lá, encontramos uma das mais belas jóias do passado ferroviário da região. Com um prédio ainda imponente, típico padrão arquitetônico da Cia. Mogiana, Guaiuvira foi uma estação do Ramal de Igarapava, e nela existiram vários tipos de comércio em atividade entre sua abertura no ano de 1900 e seu fechamento em 1979. Eram hospedaria, selaria, bar, restaurante, farmácia, enfim, a estação, como tantas outras, era um ponto de conveniência para os que viajavam pelo ramal e claro, também para os moradores locais… >>