07/02/13

MORRO DO FERRO

DATA DA EXPEDIÇÃO: 06.07.2012
DESTINO: Estação Morro do Ferro
LOCALIZAÇÃO: Município Pratápolis – MG
COORDENADAS:  20°48’23.22″S 46°53’34.42″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1915 (Data aproximada)
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Demolido, restam apenas vestígios da base da plaraforma
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Vinicius Costa, José Antonio Thomaz, Pedro Gandra de Carvalho, Giuliano Martins Thomaz, Rodrigo Faustino e Alexandre Neves

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Localizar a estação Morro do Ferro foi uma tarefa bem difícil. A equipe que me acompanhou desta vez, foi grande e já vínhamos bem cansados desde Itamogi, percorrendo todas as estações do Ramal de Passos  da Companhia Mogiana. As informações disponíveis não eram suficientes para encontrarmos o local exato, portanto tivemos que seguir até os arredores e ir “garimpando” informações e indícios de onde poderia ser a real localização da antiga estação. O Morro que batizava a estação (provavelmente uma parada) fica ali nas redondezas, onde também encontramos uma ponte de ferro sobre um pequeno riacho, e seguindo o leito da linha por uma estrada de terra paralela, chegamos a uma casa, onde o morador nos mostrou o local exato onde ainda existem os restos do prédio e plataforma. ” – É bem ali embaixo daquela palmeira!” falou o morador, apontando para a árvore logo atrás da gente. Agradecemos, pulamos cerca, atravessamos o riacho, subimos o morro tomado por cupinzeiros, passamos por bambuzais até que finalmente achamos o que procurávamos, os restos da estação Morro do Ferro. Mesmo que somente pedaços de concreto e tijolos no chão e no meio do mato, ainda assim, a emoção da turma foi grande, afinal acabávamos de conseguir o nosso objetivo maior naquele dia. Fotografamos o local, filmamos, andamos ao redor para ver se existiam mais resquícios, mas nada. Então, seguimos o leito real da linha até a ponte de ferro, mas não sentimos segurança para atravessá-la, então voltamos ao local da estação cavamos em alguns lugares, mas o que existia era aquilo mesmo, apenas uma base de concreto (um tipo de contra-piso), e alguns tijolos. Certos de termos encontrado o local, seguimos viagem rumo a Pratápolis, por um caminho lindo, com direito a uma enorme plantação de Girassóis que, naquele dia, diante de um céu azul incrível, nos brindou com uma das cenas mais lindas que vi na vida. Que dia.

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

1Comentários

  1. 12/08/13 às 23:50
    marcos antonio silva.:

    olá marcelo mais uma ferrovia que nesse cenário existiu nem mesmo a estação eles deixaram para ser catalogada por sua equipe. olhando na 3 foto vejó a base aonde os trens travegou nada restou para conta a história de uma ferrovia que circulou por está regiao.como ficou seus moradores as margens. (exemplo iguais as outras abandonados e esquecido desses póliticos) abs.

Deixe seu Comentário