20/09/15

ITAPETI

DATA DA EXPEDIÇÃO: 12.09.2014
DESTINO: Estação Itapeti
LOCALIZAÇÃO: Município Mogi das Cruzes – SP
COORDENADAS: 23°24’30.78″S 46°11’3.22″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim, em pleno uso
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1952
CONSTRUÇÃO: Estrada de Ferro Central do Brasil
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, porém abandonado e em ruínas
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Claudinéia de Marchi e Magali Mezadre Souza de Jesus

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Itapeti sempre foi objeto de desejo. Toda vez que passávamos pela SP-070 indo para o litoral norte de São Paulo, lá estava ela, ao lado, pouco acima do nível da rodovia, sempre despertando curiosidade e instigando o meu desejo exploratório. Certo dia, chegou o momento e fui lá. Itapeti está em pé apenas por obra do acaso (descaso?) e da boa qualidade da construção da época, salvo isso, nada mais há de se ver por lá. Um prédio pelo que percebi, que segue os padrões da Estrada de Ferro Central do Brasil para estações pequenas, sem armazéns, sem caixa d’água, sem telhado, enfim, sem futuro nenhum. Andei sozinho pelo local, entrei, saí, documentei-a da forma que pude, vi os dísticos ainda legíveis, as placas de quilometragem e altitude pintadas na parede ainda teimam em continuar ali, apesar da degradação da pintura, enfim, mais um local aonde o tempo passou e o abandono se instalou. Não nego que vê-la a partir da rodovia trazia mais romantismo e alimentava um sentimento de busca bem mais interessante do que estar nela propriamente. Parei na sua plataforma, olhei a paisagem, refleti por alguns segundos e continuei em busca de algo que não fosse apenas um conjunto de paredes pichadas e janelas fechadas por tijolos. Por ali, trens de passageiros trafegaram até aproximadamente 1978, depois só cargueiros, como os atuais da MRS. Fiquei por lá algum tempo a fim de ver um destes comboios, mas infelizmente só “assei” naquele calor infernal. Itapeti foi um daqueles casos em que a gente fica feliz em poder realizar um desejo (bobo?) de longa data, mas depois pensa se não teria sido melhor tê-lo nutrido na mente mesmo, ao invés de encará-lo e se decepcionar. Bem, pelo menos, eu fui lá e fiz o que tinha que fazer. De lá, segui viagem para a estação Remédios, mais à frente…

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.
PANORAMICA_ITAPETI_01

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER ITAPETI

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

Conteúdos Relacionados:

4Comentários

  1. 24/09/15 às 19:16
    Eduardo Trevisan:

    Conheci hoje o seu projeto no site do Flavio Gomes. Lindo. parabéns, passei por aqui para conhecer um pouco o seu trabalho e te dizer o quanto admirei a empreitada. Que pena que cheguei em um post que foi uma certa decepção, mas tenho outras tantas páginas ainda para ler e ver tudo o que já fez.

    Parabéns novamente. Sucesso.

  2. 24/09/15 às 19:32
    marcelo:

    Ainda tenho umas 300 para postar, continue acessando que continuarei postando! Abs Eduardo.

  3. 26/09/15 às 0:18
    Rogério Tinoco:

    Tomei conhecimento de seu site através do Flávio Gomes, me interessei na hora pois meu pai trabalhou na RFFSA e me lembro de sua tristeza ao ver como as ferrovias brasileiras foram abandonadas, estações pilhadas, oficinas nas quais trabalhou sucateadas, enfim, um sistema que deveria ser aprimorado principalmente em um país de dimensões continentais como o nosso, sendo largado devido a interesses alheios à população. Muito bacana o seu projeto, aguardo postagens sobre estações de minas gerais!

  4. 26/09/15 às 1:03
    marcelo:

    Pode aguardar, assim que tiver eu as posto! Abs

Deixe seu Comentário