02/10/12

CHIBARRO

DATA DA EXPEDIÇÃO: 30.12.2011
DESTINO: Estação Chibarro
LOCALIZAÇÃO: Município Araraquara – SP
COORDENADAS:  21°52’32.40″S 48° 3’23.85″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim (em uso)
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1922
CONSTRUÇÃO: Companhia Paulista de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, porém abandonado e bastante depredado
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, José Antonio Thomaz e Raul Otuzi de Oliveira

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Estivemos em Chibarro vindos das estações Ouro e Tamoio, onde pudemos colocar em prática o nosso método de localização mais constante, o da tentativa e erro, rerere. Chegando em Chibarro, pudemos perceber o estado crítico do local, o abandono, que é tão frequente, e já nem nos espanta mais. É um local calmo, sem moradores ocupando nem o prédio da estação, nem o de monitoramento, que fica um pouco à frente, o grande armazém na estrada de Chibarro (vide mini-filme), também não estava ocupado, enfim, no local éramos apenas nós naquele dia. Chibarro estava tomada pelo mato alto, os dísticos ainda estão lá, a plataforma também, mas nem sinal das lousas e placas de quilometragem e altitude. No dístico dava para ler ainda o nome  “Fortaleza” bem apagado, que era de uma outra estação ali perto, mas não foi mantido, e nos fundos, ao que me pareceu, uma espécie de alojamento um enorme pomar. Um fato curioso, foi a data escrita no dístico, que marcava 1921 como data de construção, mas nos demais dados, a data era 1922, enfim, talvez a obra tenha começado num ano e terminado do outro, né? Placas de patrimônio da extinta FEPASA demarcavam os prédios do local, o que soava bem irônico. Eu, meu tio Zé e meu amigo Raul, andamos por todo o local, desfrutamos das frutas do pomar (desfrutamos das frutas, entenderam?) e exploramos o interior da estação, que só tinha abandono para nos oferecer. Era um dia de calor intenso, um sol escaldante, e isso fez com que partíssemos atrás de água e cerveja para nos refrescarmos e seguirmos em frente. De lá, fomos para Ibaté, mas um dia terei que voltar para encontrar a antiquíssima estação Fortaleza, que não me sai da cabeça desde então.

FOTOS DO LOCAL:


MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

ILUSTRAÇÃO DO LOCAL:
Tendo como base as imagens reais de cada local colhidas pelo Projeto Estações Brasileiras, eu desenvolvo uma ilustração que retrate emocionalmente o espírito de cada estação/parada, ou mesmo do seu entorno, no caso de já não existirem mais. A intenção é que sirva de estímulo para a interpretação crítica de cada um, seja de forma positiva, negativa, carregada de saudosismo, ou mesmo de forma contemplativa apenas. Espero que curtam.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

Conteúdos Relacionados:

10Comentários

  1. 09/07/13 às 16:40
    MARCOS ANTONIO DE JESUS:

    morava em Barretos próximo a estação e me lembro da maria-fumaça, brincava nela eu tinha uns 5 anos em 1966, e via os trens chegando e partindo. Um certo dia em janeiro de 68 me mudei para Mogi das Cruzes, foi a primeira vez que viajei de trem para São Paulo, e como era noite eu não me lembrava muito das estações, somente quando amanheceu e lembro do túnel próximo a Jundiaí e ate a chegada na Luz, ,mas durante minhas idas a Barretos para visitar minha mãe e irmãos, me lembro de olhar cada estação, que gravava na memória.Me lembro do chefe do trem dando dois apitos antes do trem partir, me lembro do trem chegando nas estações, muita gente aguardava nas plataformas. Jundiaí, Campinas, Americana, Limeira,Sao Carlos, Rio claro, Araraquara, Rincão que eu adorava, Ibitiuva, Passagem p Pontal, Pitangueiras, Bebedouro, Colina muito linda, Palmar, Frigorifico, e Barretos.As estações de Mandembo cheguei a ir a pe de Bebedouro pela linha até a estação.Tirei fotos mas não revelaram.Acho que não encaixei o filme certo. Visconde do Rio claro tenho fotos.Sou saudosista, me lembro do chefe do trem anunciando as estações nos vagões, e dos carrinhos de cerveja e refrigerantes e lanches, adorava o pao com mortadela e guaraná antártica.Tenho vontade de votar e filmar e registrar tudo.Ta na minha memória de criança e adolescente. Tenho fotos da estação de Barretos no trem parecia que sabia que ia acabar, pois o trem ia muito lento, por causa da ma conservação das linhas e dormentes.tenho varias fotos do abandono.

  2. 09/07/13 às 16:47
    MARCOS ANTONIO DE JESUS:

    SOU SAUDOZISTA, TENHO FOTOS DE ALGUMAS ESTAÇÕES DA PAULISTA, MEU CEL VIVO 974093055 SE INTERESSAREM, POIS QUERO VOLTAR AO LOCAL PARA FILMAR E TIRAR FOTOS.

  3. 09/07/13 às 16:50
    MARCOS ANTONIO DE JESUS:

    FUI DE BEBEDOURO A MANDEMBO PELA LINHA A PE, DEPOIS ATE COLINA PELA RODOVIA, PRETENDO VOLTAR E REGISTRAR TUDO.

  4. 09/07/13 às 17:05
    MARCOS ANTONIO DE JESUS:

    LAMENTAVEL O DESPERDICIO NOSSA MALHA FERROVIARIA NO ABANDONO E FALANDO DE TREM BALA. PERDEMOS PRA RODOVIA E SEUS PEDÁGIOS. QUEM IA QUERER PEGAR UM TREM QUE SEM CONFORTO E DEMORA E NEM RESPEITAVA MAIS HORARIOS, PARANDO PELOS TRILHOS DA VIDA.A FEPASA FOI VENDIDA COMO SUCATA, EU LAMENTO, MAS EU COMO MUITOS PUDE VIVER UM TEMPO QUE HOJE SO DEIXOU SAUDADE.AINDA BEM QUE NÃO ESTOU SOZINHO NESSA, O QUE VIVI TA GUADADO NA MINHA MENTE, NINGUEM TIRA.O TREM PRA BARRETOS TINHA DOIS HORARIOS PRA SAIR DA LUZ, UM AS 14 HS E OUTRO AS 22HS. CHEGUEI A VIAJAR NESSES HORARIOS.AS PEQUENAS ESTAÇOES ME CHAMAVAM A ATENÇÃO, COMO TATU, VISCONDE RIO CLARO, CHIBARRO, SANTA LUCIA, AMERICO BRASILIENSE, PRADOPOLIS, MACUCO, IBITIUVA, PASSAGEM, GUATAPARA, GUARANI, AQUELA PONTE DO RIO MOGI GUAÇU, MANDEMBO, PEROBAL, FRIGORIFICO, SAUDADES….

  5. 09/07/13 às 23:06
    marcelo:

    Nossa Marcos, eu que nasci em 1975 ao ler os seus relatos, me transportei tbm para as minhas viagens da infância (vide relato de Aguaí), com a diferença que o trecho que eu fazia era o da Rib. Preto – Aguaí. Tudo o que disse é a mais pura verdade, inclusive o lanche de mortadela, rerere… Me mande o material que tem, que publico aqui com os seus créditos, ok? Abs e continue por aqui.

  6. 09/07/13 às 23:07
    marcelo:

    Marcos, me mande o material que ajudará a enriquecer e muito o acervo que estou tentando construir aqui. Abs

  7. 09/07/13 às 23:07
    marcelo:

    Estive em Mandembo há uns 20 dias…. linda!

  8. 09/07/13 às 23:08
    marcelo:

    Postarei Mandembo ainda hoje… Aguarde!

  9. 13/08/13 às 5:56
    marcos antonio silva:

    do que falar destá estação (CHIBARRO) abandonada no meio do mato como outras construção ao longo destá ferrovia que ainda bém está em atividade mais por quanto tempo ainda quanto dinheiro jogado fora pela antiga rede ferroviaria antiga fepasa não deu lucro ou mais um descaso com dinheiro publico naquela epóca ( como antiga vasp o banco banespa a nossa caixa não deram lucro ou alguém escondeu a falha na sua administração ou imcopetencia desses governos passado e presente) abs marcelo desculpa por esses comentários mais e muita falta de vergona deixar tudo a propria sorte.

  10. 09/12/16 às 17:20
    MARIA ROSA DIAS:

    Nasci em Pedro Alexandrino, mudamos para estação da Babilônia, mudamos para estação do Chibarro, tenho voltado nesse lugares mas eu não tenho foto , tem como mandar para meu email?
    Abraços

Deixe seu Comentário