Posts encontrados na categoria: T

30/08/16

TAGUAÚNA

TAGUAUNA

Íamos para um encontro anual em Furnas. Encontro de amigos de longa data e foi então que convenci alguns deles a me acompanharem nessa busca pela estaçãozinha de Taguaúna, a fim de resgatar um pouco da nossa memória ferroviária, levar um pouco de cultura aos amigos (que estavam a procura de um bom final de semana regado a cerveja e churrasco) e também espairecer um pouco a mente, andando pelos caminhos que outrora foram de ferro, hoje como pude ver de perto, são de terra e mato. Taguaúna é um prediozinho pequeno, no meio de uma propriedade particular cercada e, para entrarmos lá, tentamos pedir autorização, mas não encontramos ninguém próximo. Bem, daí, o que nos restou, foi atravessar a cerca de arame farpado e seguir mato adentro em direção do que achávamos ser o local exato da pequenina. E era! Taguaúna está em ruínas, mas seus dísticos ainda estão lá, legíveis e imponentes, pois não foram apenas pintados nos frontões, mas sim, esculpidos em relevo, o que deu vida “quase” eterna a eles…>>

02/07/15

TAMANDUAZINHO

TAMANDUAZINHO

Hoje no lugar há uma chácara/sítio e, ao que me pareceu, também uma piscicultura. Andei por lá mas não vi nehum resquício da antiga linha da EFSPM e muito menos do prédio (que em tese nunca existiu de fato), da antiga estaçãozinha. Tamanduazinho diziam ser uma espécie de cabine telefônica, e estava bem ao lado do córrego homônimo e um pouco antes da subida sentido Serra Azul. Perguntei ali por onde passei, mas sequer imaginavam que por ali havia existido uma estação… >>

17/05/15

TEOTIHUACAN*

TEOTIHUACAN

Quando fiquei sabendo que iria para o México, esta estação me chamou a atenção logo de cara, pela sua localização, praticamente ao lado das famosas Pirâmides de Teotihuacan (ou Teotihuacán, como queiram). Situada às margens da rodovia que liga a Cidade do México à Teotihuacan, num acesso um pouco confuso que nem mesmo o motorista do nosso táxi conhecia, lá estava a velha estação, construída a 2.280m de altitude, distando 45 km da estação Buenavista na Cidade do México, com o seu prédio ainda em pé, e suas linhas ainda servindo de forma plena. Por lá, vi apenas cargueiros e uma edificação semi-abandonada, que contava com dois funcionários da ferrovia… >>

16/12/14

TAJÁ

TAJA

Das mais de 420 estações que eu visitei até agora, Tajá certamente foi uma das mais desejadas. Simplesmente pelo fato do acesso ser restrito, e consequentemente poucos conseguirem chegar até ela, o imaginário não parava sequer um segundo de funcionar, até o momento em que decidi ir até lá. Tajá era uma pequena estação de cruzamento no alto dos morros que separam Águas da Prata – SP de Poços de Caldas – MG, construída pela Companhia Mogiana na década de 1930, para pequenos cruzamentos, visto que a capacidade do seu desvio era de apenas 6 vagões. Com a chegada da modernidade, as composições cresceram e Tajá sumiu. Vasculhando sobre esta exótica estaçãozinha, encontrei um vídeo de dois pesquisadores ferroviários da região de Casa Branca, que construíram um Trolley em 2005… >>

17/12/13

MAKING OF – TAJÁ

TAJ_DEST

ESTAÇÃO TAJÁ – RAMAL DE CALDAS – Visitada em 15/12/2013

07/12/13

TAPUIA

TAPUIA

A palavra Tapuia durante séculos serviu para designar os índios que não falavam a língua Tupi, e também emprestou o seu nome à esta estação da Cia.Paulista, localizada próxima da divisa dos municípios de Santa Lúcia e Rincão. Estive lá com o meu Tio Zé e com o Vinicius, atrás do que restou do velho prédio ferroviário. E não foi muito, para não dizer, quase nada. Por lá, apenas restos da plataforma cobertos pelo mato alto ainda resistem e nada mais… >>

26/07/13

CAMPO GRANDE – TRILHA SONORA

campograndesom1

ESTAÇÃO CAMPO GRANDE / Santo André – SP
Trilha sonora original: AMARILDO LOPEZ

16/02/13

TAPIR

TAPIR

Queríamos descer lá embaixo, até o rio, para vermos a ponte pelo seu melhor ângulo, o inferior. Foi quando o perguntamos qual o caminho a seguir, e ele sorrindo nos mostrou uma trilha extremamente íngreme em meio as árvores e disse, é por ali, basta descer! Rerere, já que estávamos ali, depois de tanta procura e quilometros rodados, não seria uma “ribanceirinha” que nos deteria não é mesmo? E lá fomos nós, descemos, olhamos, filmamos, fotografamos, e posso dizer do fundo do coração, valeu cada escorregão, cada raspão, e cada queda que nos atingiu na descida… >>

19/10/12

TUTÓIA

TUTÓIA

Tutóia já começou me chamando a atenção pelo seu nome, sonoro e repleto de vogais, cujo significado é “Lençol de areia” em Tupi-Guarani. Andei por lá juntamente com o meu tio Zé e o Vinícius, e pudemos ver de perto a obra do pátio de manobras, que será o maior ma américa do sul e o terceiro do mundo, mas até então não sabíamos disso, e para nós, era apenas mais um pátio, como tantos outros que já vimos… >>

21/07/12

TAMOIO

TAMOIO

Fomos para Tamoio com a cara e a coragem, apesar de mais ou menos sabermos a sua localização, a tentativa e erro naquele dia foi o nosso método mais eficaz. Tanto que acabamos chegando à Usina Tamoio ao invés da estação Tamoio, que era o nosso destino desejado. Lá, descobrimos que outrora, também havia uma ferrovia que ligava a usina a estação da Cia. Paulista, e também casualmente acabamos conhecendo a linda igreja de São Pedro… >>