Posts encontrados na categoria: P

11/05/13

PERUS (E.F.P.P.)

PERUS_EFPP

Fomos até a estaçãozinha de Perus da antiga E.F.P.P. (Estrada de Ferro Perus-Pirapora), que atualmente está localizada dentro de uma estação maior e muito mais movimentada, que é a de Perus ex-S.P.R. (São Paulo Railway), hoje da C.P.T.M. (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), aonde o fluxo de pessoas e a movimentação de trens é impressionante. Por lá, ainda encontram-se resquícios de um passado bem característico, como a tradicional passarela de ferro da São Paulo Railway ligando as duas enormes plataformas… >>

03/05/13

PERUÍBE

PERUIBE

A estação de Peruíbe passou por uma reforma há pouco tempo, cerca de três anos se não me engano, e hoje, serve como um departamento da prefeitura. Estivemos lá, vindos de Ana Dias, num dia de chuvoso e nublado, mas ainda assim, conseguimos colher fotos e boas imagens do local. É uma estação pequena, porém o espaço à sua frente é amplo, o que dá a impressão de que ali havia um pátio de manobras com dois ou três desvios talvez… >>

11/04/13

PIO ALVES

SAMSUNG

Foi uma bela aventura (vide mini-filme), que nos propiciou momentos memoráveis, como conhecer a gruta e a represa do Feitosa, localizadas no meio de uma enorme mata de eucaliptos, atravessar um rio por uma ponte submersa, sem saber sequer se ela estava realmente lá, ver fazenda ser oferecida como negócio de oportunidade ao meu Tio Zé (pessoa de fortuna), ter uma gruta batizada com o seu nome, cair dentro d’água numa gruta cheia de abelhas, que acabaram por perseguir o Vinicius… enfim, coisas da vida né? Assim é o Projeto Estações Brasileiras… >>

05/04/13

PARANAPIACABA

PARANAPIACABA

Fui sozinho até Paranapiacaba, conhecer de perto o famoso universo ferroviário do qual tanto se fala. É uma cidadezinha dividida em duas partes, a “cidade alta” e a “Baixa” que é a vila propriamente dita. Divididas pelo pátio de manobras, o acesso entre os dois lados é feito através de uma passarela já bem envelhecida, desgastada e por que não dizer, praticamente abandonada. Descobri isso de uma maneira bem chata, pois como cheguei por cima (parte alta), achei que estacionaria facilmente a “Pretona” e andaria por lá tranquilamente. Ledo engano, além de não poder estacionar naquelas estreitas vielas, ainda tive que voltar pela rodovia por alguns quilômetros, para aí sim, pegar uma estrada de terra “não muito boa” e conseguir chegar a vilinha inglesa, lá embaixo. Dei sorte, pois cheguei ao local uns 15 minutos antes do nevoeiro… >>

22/03/13

PÂNTANO

PÂNTANO

Aparentemente a história confere, tanto pela sua posição geográfica, quanto pelas características construtivas e também pelos relatos. A casa já não guarda mais traços da estação, a não ser pela sua base alta, provavelmente resquício da plataforma. Serve hoje de moradia, está cercada e tem muita vegetação na sua frente, dificultando a sua visualização. Ao seu lado, a cachoeira passa quase que despercebida para quem trafega pela estradinha de terra, pois o mato encobre a visão e, se não fosse pelo barulho da queda d’água, ninguém diria que lá existe uma beleza natural tão imponente como aquela… >>

07/03/13

PADRE ANCHIETA

PADRE ANCHIETA

Chegar até a estação (parada) Padre Anchieta foi uma tarefa muito delicada, de acesso bem difícil, por meio de estrada de terra, pedras, lama, pirambeiras, pequenos cursos de água, a gente penou, mas conseguiu. Eu e a Néia (minha mulher) tivemos que usar as nossas habilidades sociais para localizarmos a antiga parada, que hoje encontra-se no meio de uma plantação de bananas, com um caminho estreito e até meio assustador, bem ao lado do Rio Itariri… >>

26/02/13

PAULA LIMA

PAULA LIMA

Paula Lima é uma estação imponente localizada bem na entrada da cidade de São José do Rio Pardo, numa via marginal paralela a estrada que vem de Itobi e Casa Branca. Tem um pequeno mercado bem em frente e o bairro a sua volta é bem carente. Estivemos lá, andamos e exploramos cada pedaço do local enquanto éramos observados por alguns ressabiados moradores locais. Vimos cada detalhe, os dísticos já bem desgastados, a ampla escadaria frontal, as mãos francesas, as telhas francesas, as lousas, a plataforma e a sua cobertura ascendente (diferente das demais)… >>

14/02/13

PEDRO DE TOLEDO

PEDRO DE TOLEDO

A estação Pedro de Toledo atualmente é uma espécie de depósito da prefeitura, mas existem pessoas ocupando uma parte do prédio (provavelmente como moradia), tanto que, a plataforma estava sendo lavada quando estive lá (vide fotos abaixo), mas seu aspecto é de semi-abandono. A estação fica bem atrás de uma praça na região central da cidadezinha, e após o prédio da estação, se seguirmos reto, chegaremos ao Rio Itariri, que faz uma grande curva naquele trecho… >>

10/02/13

PARAITINGA

PARAITINGA

Nos arredores existem algumas chácaras e até um pequeno bar, aonde eu pude tomar até uma cerveja… (quente, eca!). Sendo assim, peguei uma água e continuei a explorar as redondezas. Paraitinga mostra força pelo seu nível de utilização, mas ao mesmo tempo, não esconde o abandono, principalmente no trecho em que antigamente se ligava a Samaritá, outra estação bem próxima, já desativada há tempos. E foi para lá que seguimos na esperança de encontramos além de bons materiais e boas histórias, quem sabe, cerveja gelada… >>

15/10/12

PIAÇAGÜERA

PIAÇAGÜERA

Deixamos Praia Grande num dia de tempo feio e chuvoso, para conhecer as estações de Raiz da Serra, Perequê e Piaçagüera. Esta última é hoje um pátio de manobras com um pequeno prédio de monitoramento e controle da concessionária atual. Fica cercada e vigiada, por isso o acesso não é tão fácil, mas, com a já tão praticada “habilidade social”, conseguimos acessá-la para compartilhar com vocês as informações (vide galeria e mini-filme) que obtivemos. Pragmática, Piaçagüera serve hoje apenas como uma espécie de corredor ferroviário para o porto de Santos… >>