Posts encontrados na categoria: J

29/10/16

JAGUARIÚNA (MOGIANA)

JAGUARIUNA MOGIANA

Andei por cada lugar ali e acompanhei a linha a pé até a Parada Jaguary, que fica depois da enorme ponte de concreto que leva a linha da ABPF até Carlos Gomes e Anhumas, tudo num calor de matar e encontrando um pessoal “não muito amistoso” embaixo da ponte, mas no final, tudo deu certo. Meu sobrinho Jeferson me acompanhou nessa caminhada escaldante e dela, trouxemos grandes momentos. Jaguariúna é um lugar cativante, com um ar clássico, tradicional, histórico e saudosista. As palmeiras imperiais dão um toque todo especial e são a cereja do bolo do lugar. O prédio foi modificado em relação ao original, tendo sido fechado nas extremidades, mas sinceramente, perto dos absurdos que estou acostumado a ver por este país sem memória, nem acho que ficou ruim não. Por lá há muita vida, um ar de atualidade em meio ao passado explícito e essa amálgama me fez bem. De lá, seguimos para Carlos Gomes Nova, que é uma outra história… >>

10/01/16

JACARÉ

JACARE

Vai daqui, volta dali, numa dessas embrenhadas, eis que me deparo com nada menos do que um apiário, sim, eu estava dentro de uma criação de abelhas e obviamente isso não era nada bom. Alertei-os de forma comedida, sem fazer muito tropel e agradeci por ter conseguido sair daquela situação sem nenhuma picada. Desviamos daquela rota e voltamos ao curso do antigo leito. A uns 200 metros dali, conseguimos localizar os restos da estação, sua fundações, pisos e algumas paredes que ainda em pé, resistiam bravamente. Tudo ali estava tomado pelo mato e um calor monumental nos desetimulava a permanecer por muito tempo… >>

01/10/14

JOAQUIM EGÍDIO

JOAQUIM EGIDIO

Estive na estação de Joaquim Egídio depois de ter ouvido muita gente falar a respeito da beleza do pequeno distrito da cidade de Campinas. Joaquim Egídio por volta de 1890, possuia grandes engenhos de cana e, que com o passar dos anos, foram cedendo vez às fazendas de café. Com isso, por volta de 1889 foi preciso construir um ramal férreo para facilitar o transporte da produção das fazendas e ligar a então vila até a Estação Ferroviária de Campinas. O então recém-criado Ramal Férreo Campineiro (RFC) tinha 33 Km de extensão… >>

10/04/13

JUNDIAÍ (PAULISTA)

JUNDIAI PAULISTA

Tentei entrar lá, mas o portão (de ferro, soturno e pesado, lembrava aqueles portões antigos de cemitério) estava fechado e cheio de graxa, que imagino seja para evitar intrusos, portanto, só consegui imagens de fora mesmo. É uma estaçãozinha discreta, e quase passei direto por ela quando estive lá. Graças a alguns operários que trabalhavam por ali, consegui encontrá-la naquele dia. Foi bem legal ter estado lá, porém, realmente a outra estação Jundiaí (S.P.R.) é beeem mais interessante, e vale a visita. De lá segui para Corrupira…

26/03/13

JOSÉ HONÓRIO

JOSE HONORIO

Depois de algum tempo, fomos abordados por um casal (provavelmente donos do local, uma fazenda linda, diga-se de passagem), a quem perguntamos sobre a existência da estação, mas nada sabiam, a não ser “de ouvirem falar” que há muito, sim, houve uma estação por ali. Andamos, tentamos encontrar mais depoimentos, mas nada conseguimos, então de lá voltamos para Guardinha, onde conhecemos um Cristo e uma igreja que ficam no alto do Morro da Mesa, de onde se tem uma vista magnífica (vide fotos abaixo), desfrutamos de um simpático riachinho e seguimos nosso caminho… >>

26/03/13

JAPI

JAPI

Japi fica bem próxima de Guaxupé, na estrada que vem de Biguatinga, atualmente asfaltada. Está cercada, mas é perfeitamente visível das margens da estrada, de onde conseguimos todas as imagens. É um prédio nos padrões da antiga Mogiana, com um armazém amarelo de um lado, uma casa de turma do outro e uma palmeira na frente. O dístico de um dos lados ainda está legível (Japy)… >>

20/03/13

JÚLIO TAVARES

JULIO TAVARES

Ela fica bem próxima da divisa estadual entre Minas e São paulo, tanto que algumas das fotos que verão abaixo são de um antigo aqüeduto perto da estação, ele porém, fica em Minas (Guaxupé), enquanto ela, fica em São Paulo (Tapiratiba). O aqüeduto deu um belo complemento à expedição naquele trecho, pois é uma construção belíssima. Andar por lá e poder ver “in loco” a verdadeira situação do prédio, do seu entorno e de todos os detalhes que o envolvem é um privilégio que nunca deixarei de valorizar e reconhecer, afinal são poucos os que podem se submeter a isso. E eu tenho podido… >>

21/11/11

JOAQUIM FIRMINO

JOAQUIM FIRMINO

Joaquim Firmino é uma jóia encravada no meio das curvas de nível de um imenso canavial, suas grossas paredes resistem firmes aos efeitos do tempo… >>