Posts encontrados na categoria: F

09/06/15

FONTIBÓN*

FONTIBON

Ter estado lá foi uma experiência incrível, ter visto como é difícil conviver com o abandono, a sujeira e o descaso, também foi um tapa na minha cara que, por vezes, achava que este tipo de coisa acontecia só aqui no Brasil. Pelas minhas andanças, tenho constatado que o abandono, seja ele justificável ou não do transporte ferroviário (especialmente de passageiros), é uma constante pelo mundo afora, e o que ameniza essa realidade, é a destinação que se dá ao que restou deste universo. Em lugares aonde a educação NÃO FALTA, tudo é melhor, prédios antigos não morrem, viram museus, escolas, centros culturais, bibliotecas ganham ainda mais vida, os entornos não viram depósitos de lixo, viram parques, sua gente não vive remoendo um passado que não voltará mais, vive olhando para o futuro espelhado nas gerações porvindouras, enfim… Espero que gostem de ver Fontibón por aqui, pois lá, a história é bem outra.

08/10/13

FERRAZ

FERRAZ

Ferraz é um vilarejo aprazível e, por lá, quase tivemos que comprar melancias de um comerciante local para conseguirmos maiores informações acerca da estação, visto que esta era a condição para que ele nos desse as tão preciosas dicas. Felizmente conseguimos as informações sem termos que carregar melancias na caçamba da “Pretona” pelas estradas de terra da região. Ferraz está lá, viva e servindo… >>

04/04/13

FAGUNDES

FAGUNDES

Com uma terra vermelha de doer, a cada rajada de vento eu era “tingido” enquanto andava por lá. Completavam o cenário, a Néia na caminhonete, o Dog e o Junior, meu dois Schnauzers latindo que nem loucos…. Fagundes estava no antigo Ramal de Jandaia entre as estações de Bifurcação e Arantes (também visitadas por nós) e sua principal função era o escoamento da produção cafeeira… >>

02/04/13

FLORESTA

FLORESTA

Completavam o cenário, cachoeiras, rios, pontes metálicas, represas e as ruínas de um antiga estrutura de pedra, que possivelmente serviu como base de caixa-d’água, ou mesmo de ponte para outro pequeno ramal férreo local (não sei ao certo), enfim, andar por lá foi bastante agradável e produtivo. Em Floresta não vimos uma alma viva, por isso não conseguimos relatos locais. Andamos por lá, colhemos as imagens, e seguimos em frente rumo à Babilônia… >>

28/03/13

FRANCA

FRANCA

Chegamos em Franca ouvindo uma “pregação” ao vivo numa rádio local, que de tão fervorosa, e espalhafatosa, beirava um número circense (beirava…) e depois de alguns minutos ouvindo aquela gritaria invocando divindades, finalmente chegamos na estação de Franca e pudemos ver de perto a situação atual daquele trecho da Linha do Rio Grande. É um prédio comprido, bonito, com um estilo diferenciado (Art Nouveau?), com dísticos legíveis, compostos por uma família tipográfica bastante moderna para a época, tem uma plataforma enorme, coberta por telhas metálicas e suportada por inúmeras mãos francesas pintadas de vermelho vivo… >>

11/10/12

FIGUEIRA

FIGUEIRA

Saímos bem cedo e seguimos para Figueira, cortando os canaviais da região de Ribeirão Preto e Serrana. Nessa andança, encontramos muita coisa bacana, dentre elas, os resquícios da velha estação, que na verdade, era uma parada da Estrada de Ferro São Paulo e Minas, situada no quilômetro 23 do ramal de Ribeirão Preto. Para acessá-la, tivemos que andar pelo leito da linha, pois de carro não se chega até o ponto exato. Deixamos a “Pretona” bem à frente do local e voltamos a pé, atravessando mato, subindo ribanceiras, andando sobre pontes… >>

01/10/12

FRADINHOS

FRADINHOS

Estivemos em Fradinhos num dia quente e úmido, e entrar mato adentro num dia destes, sinceramente não foi muito agradável não. Depois de desbravarmos a Trilha das Águas (Chanflora) na região de Altinópolis/Serrana/Cajuru, a bordo do “Pretinho”, e atolarmos na areia, conseguimos encontrar o local da antiga estação Fradinhos, bem no meio de um horto, que para mim, mais parecia uma plantação de eucaliptos, mas, enfim. Atravessamos porteiras, pulamos cercas, desatolamos o carro (vide mini-filme), seguimos mato adentro sem facão, apenas com um canivete (sim, foi um erro, mas como iríamos saber?), e enfim, encontramos o local. Hoje nada mais existe por lá… >>

06/08/12

FRACALANZA

FRACALANZA

Eita paradinha simpática essa tal de Fracalanza. Foi assim que a defini mentalmente no nosso primeiro contato. Logo na entrada da cidade, é simples, singela, bem cuidada, e o melhor: sem grandes afetações… >>

15/12/11

FAVEIRO

FAVEIRO

Faveiro é um local curioso, um bairro afastado da cidade e para se chegar lá, seguimos o caminho do antigo leito da ferrovia. Os prédios ainda estão lá, em pé cercados por um muro com portão fechado e tudo mais, o que nos deu um pouco mais de trabalho. Novamente nossas habilidades sociais foram testadas… >>

28/11/11

FRANCISCO MAXIMIANO

FRANCISCO MAXIMIANO

Francisco Maximiano é hoje um pequeno amontoado de escombros em meio a um mar de cana-de-açúcar. Fomos até lá para comprovar isso com nossos próprios olhos e comprovamos. Lá nada mais existe a não ser alguns tijolos… >>