24/07/12

BOA SORTE

DATA DA EXPEDIÇÃO: 04.02.2012
DESTINO: Estação Boa Sorte
LOCALIZAÇÃO: Município Restinga – SP
COORDENADAS:  20°41’32.76″S 47°33’9.31″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1887
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, abandonado e muito mal conservado
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Vinicius Costa, Pedro Gandra de Carvalho, Fábio F. Rivaben e Fernando F. Rivaben

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Boa Sorte é hoje uma espécie de vilarejo, e pelo que me foi dito pelos próprios moradores locais, surgiu de uma ocupação da área por um grupo de sem-terras há mais de 10 anos. O acesso até lá não é dos mais fáceis, pois da estrada, não se consegue ver a estação, para isso é necessário que se entre na vila por uma outra estradinha, menor e com muito mato ao seu redor. Chegando à estação, o que vimos foi mais uma vez, foi um cenário já conhecidíssimo por nós, o abandono e a depredação quase que total do antigo prédio. Por ali ainda resistem: a caixa-d’água, os dísticos, as lousas de informações, os guichês de venda de bilhetes, enfim, o esqueleto do que outrora foi (ou ao menos aparentava ter sido), um ponto de bastante movimento ferroviário. Em Boa Sorte percorremos todo o seu entorno, entramos em algumas casas da vila, já abandonadas e em ruínas, fomos até a ponte metálica sobre o Rio Sapucaí (que ligava Boa Sorte a Macaúbas), onde tiramos várias fotos, e claro, ainda em Boa Sorte, aproveitamos para tomar algumas cervejas (geladíssimas por sinal) no Mini Box da Matinha, uma espécie de loja de conveniência do local. Lá fomos muito bem tratados, conversamos com os moradores, pudemos ouvir a história do local sob vários pontos-de-vista, o que enriqueceu muito a nossa experiência. De lá seguimos para Macaúbas… >>
FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

6Comentários

  1. 30/07/12 às 13:11
    Hythakar Oliveira:

    Destarte, fiquei surpresa com a iniciativa, mas não demorou muito até eu reconhecer o valor destes registros, em especial por seu caráter denunciatório. Parabéns, Marcelo Tomaz!

  2. 17/08/13 às 4:24
    marcos antonio silva.:

    o nome já fala tudo boa sorte como estamos vendo tudo abandonado até a ponte por onde um dia trafegou alguns trens tudo em pessimo estádo de conservação me parece também que tudo veio de fora para sua construção naquelá epóca a estação está toda caindo o que vai acontecer com a ponte por alguns tempo o mesmo o rio vai engoli que pena o que parece e melhor deixar nessa situação doque recuperar o passado com tanta luta nestá construção que estámos vendo nas sua reportagens marcelo. abs.

  3. 06/09/13 às 4:27
    marcos antonio silva.:

    mais um coméntario sobre está que já foi um dia uma estação é hojé resta apenas descasos é abandono com essas construções.como podemos ver a velha ponte está sendo coberta pela vegetação em sua volta.como foi transporta toda essa estrutura de ferro naquela epóca.qual foi o meio de transporte utilizado naquela epóca.quanto tempo levou para sua construção.que não foi facil como podemos ver no seu caminho um enorme rio quantos trabalhadores perderam suas vidas nessa construção.para levar o progresso riqueza sonhos alegrias a tantos lugares em seu trajeto em quanto existiu a velha sonhada ferrovia que foi totalmente desátivada com o passar dos anos que seguiram na sua existencia de vida com atividade indo é vindo quantas pessoas foram transportada ou cargas nessa região.em quanto durou a sua atividade.por qual mótivo mais uma vez foi desátivada nesté ramal.fico imáginando como foi dificil para construir tudo isso naquelá epóca sem tantos recurso.como temos hojé tecnólogia avançada mais para que se esse avanço não serve para recuperar o que está sumindo com tanto descasos quantos dias é noites foram preciso para essa construção mais uma vez.é hojé o que vemos é total abandono com esse patrimonio que tantos lutaram na sua existencia no decorrer dos anos que passaram.sonhos que ficaram para trás esperança que não possa vim isto é real.porque quando existé a sua desátivação por completo porque não a volta mais. então mais uma questão para que construir tudo isso com tanto esforço sabendo-se que um dia tudo isso ia ficar inutilizado para sempre. quanto se gastou quantas horas de pressão envolveram tantos trabalhadores nessa construção.é como nós que estamos do outro lado não foi façil.o que restá aqui são apenas registro nesse documéntários de tantas horas de percurso para cataloga mais um descaso com aquilo que foi mótivo de tanto orgulho lá tras.hojé restá apenas saudade do tempo que ficou para trás nestá região.quem viveu nessa epóca tanto dos trabalhadores como moradores.é dificil ver tudo isso largado destá maneira.quanto se comentou na epóca destá ferrovias para trazer o progresso nestá região.o progresso veio é foi muito rápido.abs marcelo.

  4. 11/06/17 às 21:31
    Sérgio Augusto Valim:

    Gostaria de solicitar aquela foto da Escola Leonor Mendes de Barros, muitas saudades, foi lá que fiz até o terceiro ano primário. Obrigado.

  5. 11/06/17 às 21:33
    Sérgio Augusto Valim:

    Gostaria de solicitar aquela foto da Escola Leonor Mendes de Barros, muitas saudades, foi lá que fiz até o terceiro ano primárias. Obrigado. Se já disse isso não recebi nenhuma atenção,seria pedir muito ?

  6. 17/06/17 às 23:17
    marcelo:

    Olá Sérgio, vou localizar e lhe envio, sem problema algum. Abs.

Deixe seu Comentário