02/09/14

BAUXITA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 15.12.2013
DESTINO: Estação Bauxita
LOCALIZAÇÃO: Município Poços de Caldas – MG
COORDENADAS: 21°49’18″S 46°38’1″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim, em uso
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1943
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, servindo como base da concessionária
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Pedro Gandra de Carvalho, José Antonio Thomaz, Roberto Baptista Piteri, Luis Fernando Pecchiore Bastos, Humberto Alvarenga Junior e Douglas Bulhões

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Bauxita é um lugar impressionante, e ter estado lá, me trará boas recordações até os meus últimos dias. A brisa fria batendo no rosto, a composição, os vagões-gôndola cheios e estacionados, as locomotivas velhas e surradas porém ativas, a estação fechada mas ainda com vida e utilidade, os amigos por perto, tudo conspirava para que aquele dia fosse incrível. E foi. Andamos por lá, vimos tudo, a estação pintada nas cores da concessionária, os dísticos em branco, a plataforma, as lousas, as mãos-francesas suportando a cobertura, o enorme pátio e seus desvios, a vila ferroviária atrás do prédio da estação, enfim, por lá o clima férreo imperava, ufa, que delícia! Neste dia nos acompanharam grandes e inesquecíveis amigos que pesquisam o tema e cuidam de manter viva a memória daquele trecho: o Douglas Bulhões, o Junior Alvarenga (Indiana) e o Luis Fernando Pecchiore Bastos, este último, um expert no Ramal de Caldas, e que praticamente foi o nosso guia local, visto que o nosso guia oficial, o Bulhões, costuma por vezes se equivocar, rerere… Os outros dois, também adeptos do assunto e aventureiros de mão cheia, inclusive pelos idos de 2005, cruzaram o trecho em um trolley artesanal, a fim de localizar uma outra estação próxima, o que é uma outra história e será contada aqui futuramente. Bauxita foi construída pela Companhia Mogiana nos idos de 1943, a fim de escoar a produção de minério de alumínio (Bauxita) fortemente presente naquela região. O Ramal também tinha a tarefa de trazer e levar mercadorias de São João da Boa Vista a Poços de Caldas e vice-versa. As composições de passageiros, mesmo as turísticas, apesar da beleza do trecho, reconhecidamente um dos mais lindos do Brasil, não tiveram bons fluxos, e sempre, ou quase sempre foram deficitários, o que decretou o seu fim, por volta de 1976. A linha, que começa em Aguaí e segue atualmente até Bauxita (na verdade um pouco a frente, segue até um desvio próximo à fábrica), é uma linha velha e frágil, daí o motivo de se terem composições pequenas e velhas. O local me lembrou muito, aqueles filmes que mostram o norte dos Estados Unidos e o Canadá, com muitos pinheiros, eucaliptos, e um clima frio típico. Bauxita ainda está ativa, embora descaracterizada e escondida. Ir até lá é obrigatório para quem gosta do tema ferroviário. Eu fui… e voltarei certamente.

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.
PANORAMICA_BAUXITA

FOTOS DO LOCAL:


MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER BAUXITA

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

Conteúdos Relacionados:

4Comentários

  1. 02/09/14 às 14:09
    marcos antonio silva:

    aqui o cenário que envolve esta ferrovia ainda resiste com o passar dos anos mesmo sendo utilizado no grupo Votorantim o mesmo não esta nas locomotiva que opera nesta região pelas imagens estão bem danificada tanto por dentro e fora de cada uma delas a velha estação ainda resiste com ação do tempo e do homem mais a boa noticia e que esta operando mesmo no segmento de cargas nesta região de minas gerais por quanto tempo ainda vai resiste nesta condições que estamos vendo nesta reportagens valeu Marcelo ate a próxima.

  2. 19/09/14 às 2:29
    marcos antonio silva:

    este comentário não se refere-se a esta ferrovia nesta estação mais sim em muitas outras que deixaram de existe em nosso estado e pais esse e o retrato de anos de descasos nesse segmento chamado ferrovia hoje e um grande manto negro sem direção sem esperança em recuperação por onde existiu ou ainda exista pena que nossas malhas ferroviária foram entregue a grandes grupos de logísticas que não se preocupar em preserva essa maravilha sobre trilhos que tanto contribuiu para o nosso crescimento dessa nação que hoje não tem esse meio de transporte em muitos lugares de nossos interior o que existe esta abandonado o que existiu foram apagado por completo para noa deixa seu percurso por onde transitou esse e o fim de muitas ferrovias em nosso estado e pais.

  3. 08/10/14 às 1:17
    marcos antonio silva:

    a cada visita no tema chamado estaçoesbrasileiras qual a realidade nos dias de hoje no chamado de ferrovias a realidade e os grandes descasos abandonos falta de investimento nesse setor que a medida que se passa os anos vem sendo devastado por onde existiu ou ainda exista mesmo na situações precarias que se encontra graças ao seu trabalho marcelo em divulgar esse patrimonio que foi entregue de mao beijadas as grandes empresa no setor ferroviario que não se importa na historia desde suas construções para se levar progressos e esperança a tantos lugares e regiões desse imenso brasil hoje nos dias atuais pouco se ver no trnasporte de passageiros para o nosso interior e litoral sobre trilhos o pouco que restaram estão completamente abandonados a espera de uma ação de alguem de coragem que tente resgata algumas dessas maravilhas que com boa vontade possa ser util para diversas regiões a realidade e a verdade ningem se importar com o passado sobre trilhos nesse pais de tantos descasos em diversos setores como todos nos sabemos isso vai ser dificil de acontecer falta vergonha de nossos governantes esse e o pais que so segue nas rodovias por sinal todas privatizadas por onde nos andemos existe altos pedagios enquanto nas ferrovias isso nao acontecer por qual razao grandes parte delas foram desativadas essa e a questão nesse tema estaçõesbrasileiras ate mais abs.

  4. 13/03/16 às 2:24
    marcos antonio silva:

    como estara hoje em 2016 esta ferrovia sera que esta em plena atividades ou foi tambem destivada como tantas outras em diversos lugares por onde transitou as velhas locomotivas levando sonhos e prosperidade a diversos lugares que jamais alguem pudesse imaginar que existia em nossos registro mais so voce para trazer esta verdadeira historia ferrovia de um passado glorioso de um presente e futuro de tantos descasos e deastivações em muitos lugares mais uma vez parabens marcelo pelo seu trabalho magnifico em resgatar a historia ferrovia de nosso pais abs de marcos silva sp.

Deixe seu Comentário