Posts encontrados com a Tag: ""

ENGENHEIRO SCHMITT

DATA DA EXPEDIÇÃO: 24.05.2014
DESTINO: Estação Engenheiro Schmitt
LOCALIZAÇÃO: Município São José do Rio Preto – SP
COORDENADAS:  20°52’9.77″S  49°18’41.52″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim, em pleno uso
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1912
CONSTRUÇÃO: Estrada de Ferro Araraquara
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, reformado, porém vazio, sem função aparente
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Marlon Queiroz e João Batista Agonia

O FILME:
“Aguardem!”

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Tive o prazer de visitar Engenheiro Schmitt na companhia de duas pessoas sensacionais, o Marlon e o seu pai, o Sr. João Batista Agonia, juntos naquele dia, fizemos um roteiro com mais de 10 estações visitadas, uma epopéia que durou o dia todo e teve em “Schmitt” o seu ponto de partida. Schmidt ou Schmitt é uma polêmica que vem da grafia do nome do engenheiro ferroviário Karl Ebenhardt Jacob Schmidt que batizou o lugar. Conhecido por “Carlos” ou ainda “Alemão das Mulas”, era uma figura bastante ativa no cenário ferroviário local, o que obviamente lhe rendeu a distinção de nomear o lugarejo. Inaugurada em 1912, deu origem a vila homônima que cresceu a sua volta e me pareceu ser um lugar bem aprazível, daqueles que as pessoas param para ver o trem passar, cortando a vilinha em duas. Andamos por lá, vimos pessoas, tomamos um ótimo café da manhã, conversamos com um andarilho que carregava um filhote de cachorro dentro de sua mochila (vide fotos) e que prometeu cuidar muito bem do “menininho”. Ainda sobre a estação, o prédio estava sendo reformado, encontrava-se aberto e seria ponto de partida/chegada para um passeio turístico entre a vila e São José do Rio Preto, logo à frente. Plataforma, dísticos, nomes das salas, guichê, banco antigo, praça ao redor, casas da vila ferroviária, tudo ali compunha magicamente um cenário gostoso e saudoso. Durante nossa estada, passou um trem vindo no sentido de São Paulo e pudemos vêr todo o movimento ao redor da estaçãozinha, o abrir e fechar (manual) das cancelas, o alvoroço na passagem de nível, o apito, os passos acelerados das pessoas tentando cruzar a linha antes do trem, enfim, tudo exatamente como pede o roteiro. Ao passar do trem, tudo volta suavemente ao seu curso natural e a vida segue. Em “Schmitt (dt)” pude contemplar não só a mágica ferroviária acontecendo em tempo real, como também pude ver e sentir a magia da relação entre pai e filho (Marlon e Sr. João) ao se depararem com situações inusitadas e novas, suas reações, descobertas, seus diálogos, a imensa sabedoria de toda uma vida, que o Sr. João gentilmente compartilhou conosco, enfim, foi uma jornada em que ganhamos todos certamente. O Sr. João, ganhou até banana e chuchus durante a expedição, mas isso fica para uma outra vez. De lá, seguimos em frente, pois o dia estava ficando curto, bem curto para tantas aventuras…

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.
PANORAMICA_ENG_SCHMITT_01

PANORAMICA_ENG_SCHMITT_02

PANORAMICA_ENG_SCHMITT_03

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER ENG SCHMITT

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

BARRACÃO

DATA DA EXPEDIÇÃO: 09.04.2011
DESTINO: Estação Barracão
LOCALIZAÇÃO: Município Ribeirão Preto – SP
COORDENADAS: 21°9’33″S 47°48’50″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim, seccionados, mas ainda lá
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1900
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Fechado, porém relativamente conservado e sem função
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz

O FILME:
“Aguardem!”

VEJAM MINHA ENTREVISTA NA ESTAÇÃO BARRACÃO PARA O PORTAL G1 EM 19/07/2012:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Barracão fez parte da minha infância, pois estava no meio do caminho entre o centro de Ribeirão Preto e o bairro onde morava, na zona norte da cidade. Passava por ali muitas vezes por dia e em nenhuma delas ousava não admirar a beleza e imponência daquele prédio. Barracão recebeu este nome devido a sua proximidade com um grande galpão, um tipo de hospedaria que abrigava imigrantes que chegavam a Ribeirão. Dali saia o Ramal de Sertãozinho, que durante anos ligou a linha da Mogiana a da Paulista, tendo na estação de Passagem o seu elo de união. Andei por ali muitas e muitas vezes, sempre tendo o ponto-de-vista único dela, a partir da Avenida Dom Pedro I, um acesso natural ao prédio da estação. Certa vez, resolvi subverter a ordem natural das coisas e olhá-la por outro ângulo, andei até o ponto aonde a linha faz uma grande curva e voltei, apenas para vê-la por outra posição, me permitir um novo prisma sobre algo já há muito conhecido. E não é que deu certo? A partir daquela experiência, pude entender que as nossas avaliações sempre estão vinculadas aos nossos pontos-de-vista, e foi o velho “Barracão” que me mostrou isso, com as suas diversas nuances, histórias e charme. Ali ainda estão os trilhos, descontinuados, mas lá, também o prédio, plataforma coberta, dísticos legíveis, casas da antiga vila, desvio, enfim, ainda muito se vê do que um dia foi um ponto ativo e altivo da história ferroviária da Mogiana. Pela sua facilidade de acesso e localização urbana, é um ponto onde se vê pessoas dedicarem alguns minutos das suas vidas andando e refletindo acerca do que um dia foi aquilo e se, um dia voltará a ser. Já vi gente jovem, velhos, crianças, todos por ali, ao redor da estação, brincando, contando “causos” e por vezes em silêncio, este sim, pertubador. Barracão é um pedacinho ainda conservado do que um dia Ribeirão Preto teve de história colonial, ferroviária e migratória. Barracão vive dentro de mim, e espero que isso dure muito ainda…

FOTOS DO LOCAL:



MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.
POSTER BARRACAO

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

LA FLORESTA*

ESPECIAL URUGUAI
Nas seções especiais, diferentemente das demais, o intuito é mostrar de forma rápida, algumas estações em que estive fora do Brasil. É somente uma forma de compartilhar informação e vivências acerca do tema ferroviário, de forma breve, leve e descontraída. Espero que curtam.

 

ESTACIÓN LA FLORESTA / Outubro de 2014
A estação La Floresta está a pouco mais de um quilômetro do balneário homônimo, na antiga e desativada linha que ligava Montevideo a Punta del Este. Com uma população de aproximadamente 1.500 habitantes, o local está entre as estações de Parque del Plata e Piedras de Afilar, bem no meio de uma floresta (?) de eucaliptos, de onde imagino derivar o seu nome. Fui até lá acompanhado da Néia, minha esposa e por lá, explorei todo o local, atualmente convertido em uma espécie de pronto-socorro, fechado naquele dia. Um armazém feito de chapas de metal, bem ao estilo de outros que vi por lá, completava o complexo da estaçãozinha, com postes de sinalização férrea, linha ainda com lastro, dormentes e trilhos seccionados e algumas placas. É um local tranquilo, e que deixa claro a passagem do tempo, gerando uma certa melancolia. Como o céu estava nublado, é possível que o ar de abandono, misturado com ferrugem tenha me contaminado um pouco. Imagino que do outro lado da Rota Interbalneária, onde estão as praias do local, a coisa seja bem mais bela e convidativa, mas neste dia, não tive tempo para conhecer praias, pois minha opção, eram as estações uruguaias. De lá seguimos rumo a Montevideo, parando a cada estação encontrada…

Abaixo seguem fotos e o mapa de sua localização:

FOTOS DO LOCAL:

 

PANORÂMICAS DA ESTAÇÃO:
Com o compromisso de oferecer o máximo de detalhes que puder colher em cada local visitado, agora disponibilizo também imagens panorâmicas, para que tenham a sensação não só da estação, como também do seu entorno, espero que curtam.
PANORAMICA_LA_FLORESTA

MAPA DO LOCAL:

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.