Posts encontrados com a Tag: ""

FRANCISCO MAXIMIANO

DATA DA EXPEDIÇÃO: 05.10.2011
DESTINO: Estação Francisco Maximiano
LOCALIZAÇÃO: Município Ribeirão Preto – SP
COORDENADAS: 21°28’46.61″S 47°58’6.54″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1913
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Demolido, apenas alguns poucos escombros restaram embaixo das árvores
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Fábio Cuervo e Vinicius Costa

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Francisco Maximiano é hoje um pequeno amontoado de escombros em meio a um mar de cana-de-açúcar. Fomos até lá para comprovar isso com nossos próprios olhos e comprovamos. Lá nada mais existe a não ser alguns tijolos e algumas bases de concreto que acredito terem sido da plataforma da velha estação. O local fica próximo do famoso Bar do Zé Goleiro na antiga estrada Ribeirão Preto/Guatapará de onde se pode observar as árvores ao redor da velha estação (quando a cana está baixa, claro). Até chegarmos lá encontramos gaviões, lontras, macacos, lagartos, patos e gansos pelo caminho e isso já valeu a viagem. De lá, fomos para Joaquim Firmino…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

ALTO

DATA DA EXPEDIÇÃO: 30.09.2011
DESTINO: Estação Alto
LOCALIZAÇÃO: Município Ribeirão Preto – SP
COORDENADAS: 21° 6’24.29″S 47°47’43.08″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1911
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, bem conservado e atualmente sendo utilizado como centro social e de lazer pela prefeitura
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
A estação do Alto é um belo prédio, padrão típico da Mogiana, mas como fica cercado por casas de um conjunto habitacional sua visualização é difícil. Muros altos guardam o velho prédio, para conseguir as fotos e as imagens tive que ir até lá num dia útil, mas tudo foi bem tranquilo. Entrei, andei por toda a área, fotografei, filmei, chequei detalhes que me chamaram a atenção e saí, tudo sem sem abordado por ninguém. Nenhum dos funcionários que lá estavam se propuseram a simplesmente perguntar o que eu fazia ali, e se eu fosse uma ameaça em potencial? Mas enfim, Alto estava lá, sendo utilizada por muitas crianças em atividades diversas o que dava vivacidade ao local, os dísticos também permanecem e tudo parece caminhar por lá. Existe também um campo de futebol, uma quadra e uma piscina (vazia) ao lado do velho prédio ferroviário e nada mais. 

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

BATATAIS

DATA DA EXPEDIÇÃO: 23.10.2011
DESTINO: Estação Batatais
LOCALIZAÇÃO: Município Batatais – SP
COORDENADAS: 21°28’46.61″S 47°58’6.54″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1886
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, porém cercado e fechado, utilizado como espaço cultural
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Claudinéia de Marchi, Edson Sousa de Jesus, Magali M. S. de Jesus e Dog

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Para Batatais fomos numa equipe grande, dois casais e o Dog, nosso Schnauzer Miniatura, curioso que ele só. A antiga estação é um prédio portentoso, impressiona quando se dá de frente com ele subindo pela avenida, e sem dúvida marca presença. Quando estivemos lá, não percebemos nenhum sinal de atividade dentro ou fora do prédio, somente alguns meninos jogando futebol ao lado das casas da vila ferroviária próxima da estação. Não há mais trilhos, os dísticos descrevem o nome como “Batataes”, resquícios de um passado bem distante, enfim, era um local ermo. Não consegui entrar para fotografar o interior, e ver se ainda existiam as lousas, as placas de altitude e quilometragem, de lá, só ficamos com a parte externa e partimos para Altinópolis…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

ENGENHEIRO SILVA MENDES

DATA DA EXPEDIÇÃO: 22.10.2011
DESTINO: Estação Engenheiro Silva Mendes
LOCALIZAÇÃO: Município Cravinhos – SP
COORDENADAS: 21°13’11.31″S 47°39’34.24″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim (em uso)
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1964
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Demolido, restaram apenas a plataforma, entulhos e lixo
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Jorge Luís Caleffi

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Engenheiro Silva Mendes está localizada num corte (barranco) bem no meio de um canavial entre Ribeirão Preto, Serrana e Cravinhos, este sim, município a qual pertence. Chegar lá não é muito difícil, nós fomos pela estrada que liga Ribeirão a Serrana (Rodovia Abrão Assed), entramos a direita logo após o cruzamento da linha com a estrada, e daí foi só tentativa e erro, rerere… Brincadeira, levávamos conosco um mapa impresso do local, o que facilitou muito a tarefa. Chegamos pelo alto do desnível, descer até ela pelo barranco era impossível, a opção seria voltar ao início do desnível e ir pelo leito da linha, mas não ia valer a pena, de onde estávamos víamos tudo de perto, descer até lá seria perda de tempo. Nada de interessante existia por lá, apenas a antiga plataforma, mato e bastante lixo (imagino que jogado pelos moradores das chácaras existentes ali ao redor). De lá, tiramos fotos, filmamos e partimos para Serrana, mas isso é papo para outra hora.

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:


POSTER DA ESTAÇÃO:

A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

VILA ALBERTINA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 29.09.2011
DESTINO: Estação Vila Albertina
LOCALIZAÇÃO: Município Guatapará – SP
COORDENADAS: 21°28’46.61″S 47°58’6.54″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1914
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Demolido
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Fábio Cuervo e Vinicius Costa

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Vila Albertina já não existe mais, hoje somente alguns resquícios, poucos mesmo do que foi a estação ainda estão por lá. É bem difícil saber exatamente onde era o quê, circulamos ao redor da área que certamente era a da estação, encontramos no meio do mato alguns tijolos antigos e um barranco que lembra a antiga plataforma, pois estava posicionado bem ao lado do antigo leito da antiga linha do ramal de Monteiros (onde também estivemos). Lá claramente se observa pela posição da estrada de terra, que hoje ocupa o local dos trilhos, um recuo tomado pelo mato, onde a estação um dia existiu, a visão que se tem de lá é bem bonita, principalmente de uma chaminé abandonada do outro lado, bem em frente a uma enorme mata de eucaliptos. De Vila Albertina, aprendemos a necessidade de um 4×4 para se chegar a determinados lugares, que navegar apenas baseados no “feeling” costuma não dar muito certo e que nem sempre encontraremos no local o que imaginávamos. De lá, ficou uma pontinha de frustração por não termos chegado até a chaminé (e como tentamos, culpa do “Venicius”, claro…), mas também a certeza de que com ou sem estação em pé, o projeto vale muito a pena.

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

JOAQUIM FIRMINO

DATA DA EXPEDIÇÃO: 05.10.2011
DESTINO: Estação Joaquim Firmino
LOCALIZAÇÃO: Município Ribeirão Preto – SP
COORDENADAS: 21° 8’56.94″S 47°47’2.15″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1913
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em ruínas, apenas as paredes ainda resistem
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Fábio Cuervo e Vinicius Costa

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Joaquim Firmino é uma jóia encravada no meio das curvas de nível de um imenso canavial, suas grossas paredes resistem firmes aos efeitos do tempo. Localizada no município de Ribeirão Preto, na estrada antiga que liga a cidade a Guatapará. Joaquim Firmino só é visualizada quando a cana está baixa, no trajeto até a velha estação, passamos pela mata de Santa Tereza, pelo  tradicional Bar do Zé Goleiro, pela Cruz do Pedro, encontramos macacos, lontras, gaviões, nos deparamos com íngremes subidas e assustadoras descidas, tudo em estradas de cascalho, onde o “Pretinho” (nome do meu Fox preto 1.0, pau pra toda obra) derrapou, enfim, aventura não faltou nessa jornada. Para chegarmos ao local, tivemos que deixar o “Pretinho” no meio da estrada e acabarmos o caminho a pé, o que nos deu uma primeira vista incrível dos escombros da velha Joaquim Firmino. Sem trilhos e sem telhado, ela é um ponto amarelo no meio de um mar verde de cana-de-açucar, como vocês podem conferir nas fotos abaixo, uma curiosidade interessante é a vista aérea através do Google Earth da estação sem telhado no meio da cana, é sensacional vê-la ilhada naquele imenso canavial. O céu nos ajudou muito naquele dia, conseguimos boas imagens e bons “causos”.

FOTOS DO LOCAL:


MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

RIBEIRÃO PRETO NOVA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 08.10.2011
DESTINO: Estação Ribeirão Preto Nova
LOCALIZAÇÃO: Município Ribeirão Preto – SP
COORDENADAS: 21° 8’56.94″S 47°47’2.15″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim (em uso)
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1965
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Em pé, conservado, serve de sede da FCA (concessionária ferroviária)
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Ribeirão Preto é a cidade onde nasci e daqui viajei de trem por muitas cidades junto com o meu saudoso avô Pedro, por isso tenho enorme carinho pela estação ferroviária de onde parti muitas vezes. A estação Nova de Ribeirão Preto é imponente, de arquitetura moderna, grande, se faz notar até mesmo pelos mais distraídos, seu projeto é semelhante ao da estação de Uberlândia, ambas projetadas pelo mesmo arquiteto (Osvaldo Bratke). Cercada por muros, cercas de reforçadas telas metálicas e arame farpado, a estação de Ribeirão Preto é quase uma fortaleza, o contraponto é a sua ampla plataforma, que vive sem alma viva, andei por lá durante um bom tempo e não encontrei ninguém, daí pensei: por que tantas cercas? A estação hoje serve de base para a administradora do trecho, a FCA, talvez por isso tanta segurança. Enquanto estive lá, pude ver trens transitando em viagens, em manobras, e até a velha maria-fumaça (Mogiana 420) no espaço ao lado, destinado a uma associação de ferreomodelismo, um museu e uma escola de escoteiros. Tive vários momentos de recordação na plataforma, desde o guichê onde se vendiam as passagens (que hoje já não existe mais), até o barzinho onde na infância eu tomava o guaraná antes da viagem. Bons tempos…

FOTOS DO LOCAL:

 

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

PASSAGEM

DATA DA EXPEDIÇÃO: 18.09.2011 e 13.10.2011
DESTINO: Estação Passagem
LOCALIZAÇÃO: Município Pitangueiras – SP
COORDENADAS: 21° 1’20.68″S 48°10’33.89″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim (sem uso)
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1903
CONSTRUÇÃO: Companhia Paulista de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Abandonado, sem utilização
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, José Antonio Thomaz e Daniel Franc

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Desde o primeiro dia em que vi Passagem pelo Google Earth, jurei para mim mesmo que iria até lá. Uma estação que juntava as Companhias Paulista e Mogiana, com galpão troca-truque, antigas composições abandonadas no pátio, enormes armazéns ao redor, um grande rio ao lado, ponte caída, ponte ferroviária antiga, enfim, tudo que eu queria para documentar. Ir até lá, valeu cada instante, tanto que voltei outras 2 vezes, e voltaria outras tantas. Passagem tem um típico visual de filmes Western, o prédio está lá, inteiro, na verdade, tudo está lá, mas abandonado, deixado no tempo. Passagem é encantadora, subir nos vagões e na plataforma antiga que abastecia os vagões graneleiros, de onde se tem uma visão espetacular do pátio, espantar os cães, tomar cuidado com as cabras, ir até a antiga ponte sobre o Rio Mogi-Guaçú, caminhar na curva da velha linha por entre os bambus, tudo era motivo de descobrimento por lá. Passagem hoje é isso, fragmentos de um lugar que já existiu para muitos… e para mim, continua existindo. De lá seguimos para Macuco…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

ILUSTRAÇÃO DO LOCAL:
Tendo como base as imagens reais de cada local colhidas pelo Projeto Estações Brasileiras, eu desenvolvo uma ilustração que retrate emocionalmente o espírito de cada estação/parada, ou mesmo do seu entorno, no caso de já não existirem mais. A intenção é que sirva de estímulo para a interpretação crítica de cada um, seja de forma positiva, negativa, carregada de saudosismo, ou mesmo de forma contemplativa apenas. Espero que curtam.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

GUATAPARÁ VELHA

DATA DA EXPEDIÇÃO: 10.09.2011 e 29.09.2011
DESTINO: Estação Guatapará Velha 
LOCALIZAÇÃO: Município Guatapará – SP
COORDENADAS: 21°29’55.15″S 48° 2’18.63″W
TRILHOS NO LOCAL: Não
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1914
CONSTRUÇÃO: Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
STATUS DO PRÉDIO: Ainda em pé e conservado, servindo de moradia
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz, Jeferson Tomaz Querino, Fábio Cuervo e Vinicius Costa

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Guatapará é uma cidadezinha às margens do Rio Mogi-Guaçu que tem sua história bastante atrelada às ferrovias. Por lá passavam as Companhias Mogiana e Paulista, bitolas larga e estreita dividindo o mesmo espaço no então distrito de Ribeirão Preto. Estar lá foi muito legal, a velha estação é muito charmosa e serve hoje como moradia, o seu proprietário (André, se não me engano), foi muito gentil e nos abriu as portas da estação para que víssemos de perto, os detalhes com que eles já se acostumaram a conviver há anos. Os dísticos estavam desbotados mas ainda lá, e a placa de quilometragem e de altitude também, mas as lousas de informação não. O grande armazém em frente é imponente, mas da velha estaçãozinha da Mogiana, sobrou apenas resquícios de beleza e história. Seguir pelo leito da antiga linha da Mogiana nos levou até a velha ponte de 1901 (vide fotos abaixo) que é impressionante, ferro e ferrugem juntos sobre um rio poluído, mas com um visual lindo. Ao passar ali pela primeira vez, notei 2 homens sentados na velha ponte sob um calor de 40 graus tomando 2 cervejas, o que me deu uma enorme vontade de fazer a mesma coisa, mas naquele dia não houve tempo. Voltar lá foi a solução para matar esta vontade, e o melhor, durante a semana, numa tarde de dia útil. Realmente nosso dia lá foi MUITO ÚTIL, pelo menos para este projeto.

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:


POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.

BIAGÍPOLIS

DATA DA EXPEDIÇÃO: 22.10.2011
DESTINO: Estação Biagípolis
LOCALIZAÇÃO: Município Serrana – SP
COORDENADAS:  21°11’34.49″S 47°37’18.94″W
TRILHOS NO LOCAL: Sim (em uso)
ANO DA CONSTRUÇÃO: 1928
CONSTRUÇÃO: Estrada de Ferro São Paulo e Minas
STATUS DO PRÉDIO: Fechado, ainda em pé dentro de uma usina
EQUIPE DE VIAGEM: Marcelo Tomaz e Jorge Luís Caleffi

O FILME:

RESUMO DA EXPEDIÇÃO:
Visitar Biagípolis foi uma epopéia, eu e o Caleffi tínhamos que retratar a pequena estação dentro daquela enorme usina, e para isso, muita habilidade social foi necessária. Vencida esta etapa, tentamos captar imagens que pudessem mostrar o pequeno e antigo prédio de forma justa, atual e claro, real. Contar não é igual, estar lá foi fundamental, a modernidade dos processos industriais atuais convivendo lado-a-lado com aquele prediozinho antigo é de prender a atenção. A estação já está bastante desfigurada pelo que pudemos notar, mas o simples fato de estar ainda em pé, é algo a se louvar. Trens ainda circulam por ali para carregamentos da usina, e pelo que vi, é só. É um lugar bonito, acesso fácil (até a portaria da usina), estrada asfaltada e um universo inusitado a se observar, marca bem aquela fumaça branca saindo pelas chaminés da usina, tendo enormes canaviais como plano de fundo. Biagípolis valeu a pena e dela seguimos para Capeva…

FOTOS DO LOCAL:

MAPA DO LOCAL:

POSTER DA ESTAÇÃO:
A cada estação visitada, seleciono uma imagem que julgo melhor refletir a expedição e a transformo num poster, unindo texto e imagem numa combinação de apelo bastante visual.

ILUSTRAÇÃO DO LOCAL:
Tendo como base as imagens reais de cada local colhidas pelo Projeto Estações Brasileiras, eu desenvolvo uma ilustração que retrate emocionalmente o espírito de cada estação/parada, ou mesmo do seu entorno, no caso de já não existirem mais. A intenção é que sirva de estímulo para a interpretação crítica de cada um, seja de forma positiva, negativa, carregada de saudosismo, ou mesmo de forma contemplativa apenas. Espero que curtam.

POST ABERTO À COLABORAÇÃO:
A partir da publicação de cada post inicial pelo autor, fica aberto aos colaboradores e interessados, o envio de materiais para mantermos atualizadas as informações sobre cada estação. Este site tem como principal objetivo resgatar através imagens, vídeos e textos um pouco da história ferroviária do país. Todo o conteúdo de cada post inicial é original e produzido pelo próprio autor e sua equipe de viagem, visando contribuir de fato, para o crescimento do acervo de informações sobre cada estação, sua história e seus personagens.